quarta-feira, 5 de dezembro de 2007

FERNANDO MENDES - (1974) FERNANDO MENDES

Em setembro de 1974, foi lançado este que foi o segundo LP do cantor Fernando Mendes. A capa, colorida, estampava um Fernando Mendes mais cabeludo ainda, no estilo black power, o que, em princípio, poderia enganar os menos avisados, pois o conteúdo do disco não tinha quase nada com o movimento black - ao contrário, tratava-se de mais uma dúzia de baladas e rocks românticos como, por exemplo, a faixa de abertura "Ontem, Hoje, Amanhã", o grande sucesso do disco. É também deste LP a emblemática canção "Meu Pequeno Amigo", que falava sobre o seqüestro na época do garoto Carlinhos, e que, por conta disto, sofreu com a censura, que proibiu a sua execução pública. Outras canções tocaram bem no rádio, consagrando ainda mais o jovem Fernando Mendes. Lembro-me de que no final de 74, ou no início de 75, na rua, em casa ou no trabalho, sempre encontrava-se alguém cantarolando os primeiros versos de "Ontem, Hoje, Amanhã": "Ontem você me queria/Hoje já não me quer mais...". Grande Fernando Mendes! Com sua voz pequena, como encantava todos nós com o seu romantismo, contagiando-nos com bons sentimentos... Bons tempos aqueles idos de 74/75...


(Texto de Rubens Stone.)


Faixas:

01 Ontem, Hoje, Amanhã
02 Rolinha (La Paloma)
03 Quando O Sol Se Esconder
04 Meu Pequeno Amigo
05 Não Vou Me Entregar
06 Eles Não Querem
07 Quero Ver Um Rosto Amigo
08 Nada Mais Importa
09 Lamento
10 Felicidade (música incidental: Luar Do Sertão)
11 Você Morreu Pra Mim
12 E Agora?

linque

FERNANDO MENDES - (1973) FERNANDO MENDES

Fernando Mendes se destacou na década de 1970 com "Cadeira de Rodas", que vendeu mais de um milhão de cópias e foi executada nas rádios de todo o país. Entre os prêmios que ganhou, está um disco de ouro. Fez shows no Brasil e no exterior e participou de variados programas de televisão. Atualmente continua se apresentando nos palcos brasileiros e compondo novas canções.

A carreira de Fernando Mendes começou concomitantemente à de José Augusto, com quem compôs e gravou algumas canções. Seu primeiro sucesso foi gravado em 1973: a música "A Desconhecida", de sua autoria, regravada pelo funkeiro Mister Mu, anos depois, alcançando sucesso. Mas a "volta" de Fernando Mendes ao cenário musical foi a regravação de "Você Não Me Ensinou a Te Esquecer", por Caetano Veloso para a trilha sonora do filme "Lisbela e o Prisioneiro". A regravação rendeu uma redescoberta do compositor e cantor mineiro, que teve uma coletânea lançada pela Som Livre. Em 1974, teve uma música censurada pelos censores da ditadura militar, chamada "Meu Pequeno Amigo", que fazia referência ao caso Carlinhos, um seqüestro de grande repercussão na época e que não foi elucidado até hoje, uma vez que o menino nunca mais foi encontrado.


(Fonte: Wikipedia.)


Faixas:

01 Menina Da Platéia
02 A Desconhecida
03 Caminho Incerto
04 Meu Amigo Do Mar
05 Coisas Estranhas
06 Você Vai Me Perder
07 Recordações
08 Descobri Que Te Amo
09 Sempre Só
10 Não Vou Mudar
11 À Beira Da Loucura
12 O Pior É Esperar

linque

terça-feira, 4 de dezembro de 2007

MÁRCIO GREYCK - (1998) 20 SUPER SUCESSOS

Marcio Greyck é um cantor e compositor brasileiro que foi sucesso na década de 1970 com a canção "Impossível Acreditar Que Perdi Você". Essa música vendeu mais de quinhentas mil cópias, hoje equivalente a cinco discos de ouro ou dois de platina, e ficou nas paradas durante seis meses consecutivos. Lançou um disco na Itália, gravou um em espanhol e foi reconhecido também em terras portuguesas. Foi um dos artistas que mais atuou em programas de TV, além de participar de festivais internacionais e ganhar prêmios importantes como a "Gaivota de Prata".

Quem não se lembra dessa figura cantando nos programas do Sílvio Santos e do Chacrinha? Taí uma coletânea para aguçar a lembrança... E praqueles que não conhecem...

"...Aparências, nada mais,
Sustentaram nossas vidas
Que apesar de mal vividas têm ainda
Uma esperança de poder viver
Quem sabe resbuscando essas mentiras
E vendo onde a verdade se escondeu
Se encontre ainda alguma chance de juntar
Você, o amor e eu."


Faixas:

01 Aparências
02 O Travesseiro
03 Vivendo Por Viver
04 Impossível Acreditar Que Perdi Você
05 O Apartamento
06 Eu Preciso De Você
07 Páginas
08 O Mais Importante É O Verdadeiro Amor
09 Onde Está O Céu Azul
10 Quando Me Lembram Você
11 Honestamente
12 Não Sei Onde Te Encontrar
13 Infinito
14 Faz Tanto Tempo
15 Onde Anda o Teu Sorriso?
16 Foi Você
17 O Verde Está Diferente
18 Eu Só Quero Amor
19 Como É Triste Dizer Boa Noite
20 Tudo O Que Eu Preciso É Ter o Seu Amor

linque

ODAIR JOSÉ - (1972) ASSIM SOU EU


Depois de trocar de gravadora, Odair José reformulou sua carreira, mudando também sua maneira de cantar, compor e tocar. A característica do novo estilo, que se tornou uma marca registrada de Odair José, foi a valorização dos instrumentos acústicos, ou seja, Odair já fazia discos unplugged mais de vinte anos antes disso virar moda. O primeiro disco para a nova companhia marcou o início de uma fase profícua de muito sucesso, durante a qual o jovem cantor praticamente tomou conta das paradas musicais de todo o Brasil. Do LP "Assim Sou Eu", além da música que deu título ao disco, que é a faixa seis do lado B, outras cinco canções se destacaram. Impossível não se lembrar imediatamente de 'ESTA NOITE VOCÊ VAI TER QUE SER MINHA' ou de 'MANDE NEM QUE SEJA UM TELEGRAMA'. Além dessas, também fizeram sucesso as canções 'EU QUERIA SER JOHN LENNON', 'VIDA QUE NÃO PARA' e 'PENSE PELO MENOS EM NOSSOS FILHOS'. Esse disco marcou, ainda, o início de uma parceria entre Odair e o produtor Jairo Pires, então diretor do selo Polydor, um dos principais da holding Phonogram".


(Fonte: desconhecida.)


Faixas:

01 Esta noite você vai ter que ser minha
02 Você chegou pra me fazer sorrir
03 Deixa o tempo correr
04 Três pontinhos mais
05 Mande nem que seja um telegrama
06 Com o passar do tempo
07 Eu queria ser John Lennon
08 Vida que não para
09 Pense pelo menos em nossos filhos
10 Vai ser difícil você viver assim
11 Seria muito bom fazer você voltar
12 Assim sou eu

linque

segunda-feira, 3 de dezembro de 2007

WALDICK SORIANO - (2006) SÉRIE BRASIL POPULAR

Waldick Soriano nasceu na Bahia, filho de Manuel Sebastião Soriano, comerciante de ametistas no distrito de Brejinho das Ametistas, sua cidade natal. O fato marcante de sua infância foi o abandono do lar pela mãe, a quem era muito apegado.

Em Caetité (BA), viveu sua juventude, sempre boêmia, até um incidente num clube local, que o fez buscar o destino fora da cidade. Desde muito novo, era um inveterado namorador e aventureiro e, seguindo o caminho de muitos sertanejos, foi tentar a vida em São Paulo (SP).

Antes de ingressar na carreira artística, trabalhou como lavrador, engraxate e garimpeiro. Apesar das dificuldades, conseguiu tornar-se conhecido nos anos 50 com a música "Quem És Tu?".

Waldick se destacava por suas canções sobre dor-de-cotovelo e seu visual revolucionário para a época: sempre usava roupas negras e óculos escuros.

Seu maior sucesso foi Eu não sou cachorro não, que foi regravada em inglês macarrônico por Falcão. Também se tornaram conhecidas outras músicas suas, tais como "Paixão de um Homem", "A Carta", "A Dama de Vermelho" e "Se Eu Morresse Amanhã".


(Fonte: Wikipedia.)


Faixas:

01 Eu Não Sou Cachorro, Não
02 Tortura de Amor
03 Perfume de Gardênia
04 Angústia
05 Mensageiro
06 Eu Também Sou Gente
07 Eu Trago o Coração Nas Mãos Para Lhe Entregar
08 Maria Elena
09 Fujo de Ti
10 O Conformado
11 Quem És Tu?
12 Alma de Boêmio
13 Vamos Gozar a Vida
14 Quero Ser Teu Escravo

linque

domingo, 25 de novembro de 2007

PAULO SERGIO - DISCOGRAFIA (PARTE 1)

O MÚSICA DAS ANTIGAS orgulhosamente apresenta... Paulo Sergio!

Achei esses linques por aí na net e, como faltava ele no blogue, nada mais justo que democratizá-los por aqui.

Paulo Sergio surgiu no fim da década de 60 como imitador de Roberto Carlos. A voz, o visual e o jeito de cantar e tocar lembravam o do Rei da Jovem Guarda. Nos anos 70, tornou-se um ícone da música brega, que lhe rendeu um grande fã-clube. Entre seus maiores sucessos estão "A Última Canção" (Carlos Roberto) e "Eu Te Amo Tanto, Tanto" (Manuel Pinto/Cirus).


* Fonte: cliquemusic.



Paulo Sergio - Volume 1 (1968)



Faixas:

01 No dia em que parti
02 Gosto muito de você
03 Sorri meu bem
04 Se você voltar
05 Não sei te esquecer
06 Pro diabo os conselhos de vocês
07 Não me trate como um cão
08 Última canção
09 Não quero mais você
10 Quando a saudade apertar
11 Doce ilusão
12 Do nosso amor

linque


Paulo Sergio - Volume 2 (1968)



Faixas:

01 Pelo amor de Deus
02 Não consigo esquecer você
03 Distância ingrata
04 Veja
05 Sou feliz morrendo assim
06 Não vou querer
07 Não fico aqui
08 Por tudo que há de mais sagrado
09 Não brinque comigo (Tanta maldade)
10 Amor sem fim
11 Menina triste
12 Manhã de esperança
13 Senhora
14 Recalques

linque


Paulo Sergio - Volume 3 (1969)



Faixas:

01 O amanhã espera por nós dois
02 Faça o que quiser de mim
03 Estou só
04 Será que você não têm coração
05 Nem vejo a hora de voltar aos seus braços
06 Chega
07 Sai de mim
08 Ninguém pode proibir que eu te ame
09 Não quero saber de você nunca mais
10 Felicidade pra dois
11 Vou ver meu amor
12 Vai ser feliz quem ganhar meu coração

linque


Paulo Sergio - Volume 4 (1970)



Faixas:

01 Você não presta
02 A verdade é diferente
03 Não creio em mais nada
04 Eu não sei... eu não sei... eu não sei
05 Preciso acreditar
06 Não importa o que os outros falam
07 Eu quero ver você viver sem mim
08 Não precisa deixar nada
09 A procura de um novo amor
10 Fujo de mim
11 O quanto eu te amo
12 Eu venho de longe só por causa de você
13 Você é o problema
14 Nos braços teus

linque


Paulo Sergio - Volume 5 (1971)



Faixas:

01 Só não lhe dou meu coração
02 Minha cinderela
03 A minha lua
04 Preciso esquecer você
05 A minha vida pertence a mim
06 Canção do violeiro
07 Alfaiate
08 E o destino desfolhou
09 Não vou mais lhe escrever
10 Ficar nunca mais
11 Não!
12 Tire a indecisão de si

linque


Paulo Sergio - Volume 6 (1972)



Faixas:

01 Desiludido
02 Agora quem parte sou eu
03 Lembranças
04 Fiz um mundo pra nós dois
05 Sem você
06 Minha vila
07 Amor eterno
08 Fiz
09 Idioma do amor
10 Uma história um caminho
11 Como é que eu vou poder viver tão triste
12 Capela
13 Hora de esquecer o mal

linque


Paulo Sergio - Volume 7 (1973)



Faixas:

01 Nem mesmo Cristo
02 Falta alguém em nossa vida
03 A fera de olhos mansos
04 Aquele tempo bom
05 Mesmo que seja o último adeus
06 Índia
07 Máquinas humanas
08 O retratinho
09 De coração a coração
10 Rosana
11 Lágrimas rolaram
12 C'è sempre una speranza (Ainda resta uma esperança)

linque


Paulo Sergio - Volume 8 (1974)



Faixas:

01 Não quero você
02 Minhas qualidades, meus defeitos
03 Pense em mim
04 Multicolorida
05 Vida, pra que?
06 Já não sinto nada por você
07 Não morreu a esperança
08 Só você
09 La bohême
10 O que importa é o nosso amor
11 Você me disse adeus
12 Vou voltar pra minha terra

linque

terça-feira, 9 de outubro de 2007

BALTHAZAR - (1997) 20 SUPER SUCESSOS

Balthazar é dono de uma potente voz e intérprete singular. Não fosse o equívoco recorrente no seu repertório, poderia figurar entre os maiores do Brasil. Sua carreira tem desenvoltura bastante interessante, basta lembrar que ele começou cantando rock com Raul Seixas, Serguei e outros. Entre as dificuldades que enfrentou para deslanchar como roqueiro, preferiu a estrada da música popular e seu consumo intenso. E se deu bem. O país inteiro um dia já cantou os sucessos de Balthazar. Quem não se lembra das músicas "Se Ainda Existe Amor", "Sara" e "Carta de Amor"? Verdadeiros hinos da década de 70.

Egresso do rock, Balthazar entra no mercado fonográfico encaixando-se na vaga que Evaldo Braga deixara na gravadora Phonogram com sua morte, em 31 de janeiro de 1973. O convite para Balthazar preencher a lacuna deixada pelo "Ídolo Negro" veio do então diretor de produção da gravadora Jairo Pires. Balthazar era amigo de Evaldo Braga e, apesar de ainda não ter gravado discos, sua voz era bastante elogiada pelos profissionais da área. Foi pelo primeiro compacto, gravado em 1973, que Balthazar despontou para o sucesso comercial. A boa aceitação do público diante da música "Carta de Amor" serviu de respaldo para que a gravadora avançasse para o passo seguinte: gravar imediatamente o primeiro LP de Balthazar. Segundo os dados oferecidos pelo próprio cantor em 2005, o disco vendeu em seis meses a quantidade recorde de 1.500 mil cópias. Resultado suficiente para brecar qualquer temor da gravadora em relação ao sucesso do contratado.

Taí uma boa introdução a Balthazar!


(Fonte: Musica Popular do Brasil.)


Faixas:

01 Arma De Vingança
02 Meu Deus
03 Só Quero
04 Mentira
05 Ouvindo-Te
06 Só Mesmo Um Tolo
07 Criando Desculpas
08 Sarah
09 Se Ainda Existe Amor
10 Passagem So De Ida
11 Se Eu Parar De Cantar
12 Cartas De Amor
13 Perco A Cabeça
14 Verdade Pura, Nua E Crua
15 Transas De Amor
16 Depois De Ti Depois Do Amor
17 Foi Deus Quem Trouxe
18 Procure Sorrir
19 Chama De Amor
20 Que Será De Mim

linque

PERLA - (1997) GRANDES SUCESSOS

Paraguaia de nascimento - e com trinta anos de carreira no Brasil -, Perla, que já dividiu o palco com artistas como Paulinho da Viola, Roberto Carlos, Cauby Peixoto, Elizeth Cardoso, Vinicius de Moraes, Tom Jobim e Clara Nunes, já teve sua voz comparada por Nelson Rodrigues com cantoras como Ima Sumak, Edith Piaf e Ernna Sak.

Com cinquenta e um álbuns gravados e um público exigente (já tocou para Príncipe Charles, Rainha Elizabeth, Charles De Gaulle, Príncipe Phillipe, presidente do Paraguai, embaixadores e ministros), a cantora que em 1971 separou-se do grupo "Las Maravilhas del Paraguay", formado por seu pai e seus irmãos - todos músicos - não esperava que de suas apresentações no Rio de Janeiro (RJ) fariam sua carreira decolar.

(...) Melhor do que falar de Perla é ouvi-la. Uma coisa é certa: voz, carisma e talento ela tem.


(Fonte: Página oficial da cantora.)


Faixas:

01 Estrada do Sol
02 Fernando
03 Pequenina
04 Dez Anos Depois
05 Rios da Babilônia
06 O Jogo Já Acabou
07 Eu Preciso Abraçar-te
08 Vamos Dançar Reggae
09 Férias de Amor
10 Começa Amanhecer
11 O Acorde Triste de Uma Guitarra
12 Um Gosto de Adeus
13 Veneza do Amor
14 Índia

linque

VÁRIOS - (2002) SUPER POPULAR ANOS 70

Essa é pra trincar o vitrô do banheiro! Dois discos dos melhores bregas do setentão brasileiro pra ninguém botar defeito. Pra cantar junto no chuveiro...


Faixas:

CD 01

01 Peninha - Sonhos
02 Odair José - Vou Tirar Você Desse Lugar
03 Jane e Herondi - Não Se Vá
04 Sidney Magal - Sandra Rosa Madalena
05 Wando - Moça
06 The Fevers - Cândida
07 Lilian - Sou Rebelde
08 Biafra - Helena
09 Vanusa - Manhãs de Setembro
10 Antonio Carlos e Jocafi - Você Abusou
11 Wanderley Cardoso - Aquela Nuvem
12 Paulo Diniz - Quero Voltar Pra Bahia
13 Waldick Soriano - Eu Não Sou Cachorro, Não
14 Almir Rogério - Fuscão Preto


CD 02

01 Cláudia Telles - A Noite Vai Chegar
02 Odair José - Uma Vida Só (Páre de Tomar a Pílula)
03 Gilson de Souza - Poxa
04 Gretchen - Freak Le Boom / Me Gusta El Cha-cha-cha / Conga, Conga, Conga
05 Paulo Diniz - Pingos de Amor
06 Fábio - Stella
07 Gilson - Casinha Branca
08 Sidney Magal - Meu Sangue Ferve Por Você
09 Cláudia Telles - Fim de Tarde
10 Fernando Mendes - Cadeira de Rodas
11 Luiz Ayrão - Porta Aberta
12 Jerry Adriani - Impossivel Acreditar Que Perdi Você
13 Sérgio Mallandro - Bilu Tetéia / Farofá-fá
14 Genival Lacerda - Procurando Tu

linque

VÁRIOS - (2001) SUPER POPULAR

O MÚSICA DAS ANTIGAS traz, neste mês de outubro, uma série de coletâneas da mais fina estirpe, retiradas (ou sugadas!) de diversos blogues irmãos, que valorizam também a nossa música popular. Esta é a "Super Popular", recheada de clássicos indiscutíveis.


Toma lá!


Faixas:

01 Lindomar Castilho - Você é Doida Demais
02 Reginaldo Rossi - A Raposa e as Uvas
03 The Fevers - Vem Me Ajudar (Help, Get Me Some Help)
04 Fábio Jr. - O Que é Que Há
05 Márcio Greyck - Impossível Acreditar Que Perdi Você
06 Ricardo Braga - Uma Estrela Vai Brilhar
07 Wando - Fogo e Paixão
08 Ronnie Von - Tranquei a Vida
09 Amado Batista - O Fruto do Nosso Amor (Amor Perfeito)
10 Fernando Mendes - Cadeira de Rodas
11 Gilliard - Pouco a Pouco
12 Odair José - Cadê Você?
13 Jane e Herondy - Cisinha Estúpida (Somethin' Stupid)
14 Perla - Pequenina (Chiquitita)

linque

segunda-feira, 24 de setembro de 2007

CARLOS SANTOS - (1982) VOLUME 4

Carlos José Oliveira Santos, nascido em 12 de novembro de 1951, na Cidade de Salvaterra, na Ilha do Marajó, veio muito jovem com 13 anos de idade do interior do Pará pra Belém para continuar seus estudos; foi camelô na feira do Ver-o-Peso, vendendo discos usados, limão, envelope na frente dos correios, ingressos para jogo de Remo e Paisandú, velas na porta de cemitério, planos de sorteios Supernorte, plano Mage, Roncy, vendeu cartão da Loteria Esportiva, ingressos para Shows de Roberto Carlos, muitas vezes teve que fugir do rapa.

No início dos anos 70, Carlos Santos cria a Gravadora Gravasom, para valorizar o artista paraense, lançando os ritmos da região, como carimbo, siriá, lundum etc., além de projetar grandes nomes como Alípio Martins e outros para todo o Brasil.

Em maio de 1975, Carlos Santos lança seu primeiro disco, um compacto simples com a música Ponte Belém-Mosqueiro, composição de Jesus Couto e Chico Xavier, para homenagear a inauguração desta grande obra que ligou a cidade de Belém à Vila do Mosqueiro, com produção do maestro Pinduca, "O Rei do Carimbó". Alcançou um grande sucesso na época, dando início a uma carreira com 3 compactos, 10 LP's e 4 CD's, o que proporcionou a Carlos Santos a vendagem de mais de 3.500.000 cópias em todo o Brasil e no exterior, tendo como destaque a música Quero Você, composição de Carlos Santos e Alípio Martins que consagrou-o definitivamente no mundo musical, premiando-o com seis discos de ouro e cinco de platina.

E viva o Pará!


Faixas:

01 Lambada Do Piriri
02 Eterno Apaixonado
03 O Vira
04 Como Eu Sou Feliz
05 O Remador
06 Paraíso De Amor
07 O Marinheiro
08 Brincadeira De Roda
09 Horóscopo
10 Férias... Férias... Férias...
11 Dona Baratinha
12 Quero Você

linque

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

OSWALDO BEZERRA - (1981) O REI DO BREGA (VOL. 1)

Oswaldo Bezerra, "O Rei do Brega", é verbete obrigatório em qualquer enciclopédia que se queira pensar sobre música popular brasileira.

Paraense, Oswaldo foi inspiração pra muitos daquela geração de cantores populares dos 70, pra não dizer uma "mina" da qual alguns deles surrupiaram descaradamente suas sacadas geniais. Mas aqui é o lugar de fazermos justiça...

Ta aí um exemplo da genialidade do mestre... Qualquer semelhança não é mera coincidência.


"Garçon"

Garçon, por favor, uma cerveja
Eu hoje resolvi me embriagar
Eu hoje vou beber de mesa em mesa
Eu hoje vou andar de bar em bar
Garçon, por favor, outra cerveja
Não tire a conta
Porque não posso pagar
Se você insistir, eu viro a mesa
Chame esta dama de vermelho pra dançar
Garçon amigo, não me chame de covarde
Isto é a realidade
É o que meu coração quer
Garçon amigo, não me chame de covarde
Não, não, não...
Isto é a realidade
Eu sofro por esta mulher


Faixas:

01 Falso Juramento
02 Lembrança Do Passado
03 Jogo Da Paz
04 Destino Cruel
05 Baile Dos Artistas
06 Não Brinca Comigo
07 Mulher Malvada
08 Encontro Fatal
09 Silencio
10 Cametá No Embalo

linque

quinta-feira, 2 de agosto de 2007

DIANA - (2005) 20 SUPER SUCESSOS

Ana Maria Siqueira Iório, conhecida com o nome artístico de Diana, iniciou a carreira no final da década de 1960, seguindo os passos da Jovem Guarda, que dominava o cenário musical brasileiro na época.

Em 1969, gravou seu primeiro disco, um compacto simples, trazendo como uma das músicas a canção "Menti Pra Você". Porém, esse seu compacto não foi bem sucedido. Anos mais tarde, em 1972, é contratada pela gravadora CBS, e passa a ser produzida por Raulzito, que mais tarde seria o conhecido "Maluco Beleza" Raul Seixas. Alcançou as paradas de sucesso com as músicas "Uma Vez Mais", "Fatalidade", "Um Mundo Só Pra Nós", "Por Que Brigamos?", "Estou Completamente Apaixonada" e "Hoje, Sonhei Com Você". Nessa mesma época, conheceu e casou-se com o também cantor Odair José, com quem teve uma filha, Clarice. Após conturbada relação, se separaram. Já nos meados dos anos 70, Diana grava outros discos pelo selo Polydor e lança mais sucessos, como "Foi Tudo Culpa do Amor" e "Lero-Lero".


(Fonte: Wikipedia - revisada..)


Faixas:

01 Uma Vez Mais (One Last Time)
02 Amor Só Se Paga Com Amor
03 Lá Fora Faz Muito Frio
04 Esta Noite, Lhe Digo Que Não (Stasera Ti Dico Di No)
05 Estou Completamente Apaixonada
06 Meu Lamento (Voy A Guardar Mi Lamento)
07 Fatalidade (Fatalità)
08 Por Que Brigamos? (I Am... I Said)
09 Ainda Queima A Esperança
10 Canção Dos Namorados (El Vals De Las Mariposas)
11 Vivo Só Pensando Em Ti (Vivo Solo Para Ti)
12 A Música Da Minha Vida (My Reason)
13 No Fundo De Minh'alma (Proplakat Ce Zora)
14 Quero Te Ver Sorrindo (When My Little Girl Is Smiling)
15 Tudo Que Eu Tenho (Everything I Own)
16 Um Mundo Só Pra Nós
17 Hoje, Sonhei Com Você
18 Sinceramente (Probabilmente)
19 Você Tem Que Aceitar
20 Agora Que Sou Livre (Ahora Que Soy Libre)

sábado, 21 de julho de 2007

AMILTON LELO - (1981) AS BOAS DE AMILTON LELO

Cantor goiano Amilton Lelo começou sua carreira ainda nos anos 70, com alguns resquícios da estética da Jovem Guarda. Mas estourou mesmo nos anos 80. Fundamentalmente, suas canções - quase todas composições próprias - falam de amor, e foram gravadas por boa parte dos cantores de peso do gênero.

Amilton morreu em 1985, na cidade de Bela Vista, Goiás. Foi assassinado por sua cunhada, irmã da sua ex-esposa, da qual se separou. Amilton está sepultado no cemitério de Goiânia, na galeria dos artistas, e recebe uma legião de fãs todos os anos.

Pra quem não conhece, ou simplesmente pra matar saudade, o MÚSICA DAS ANTIGAS compartilha essa coletânea, datada de 1981 e relançada em CD há poucos anos, que traz, como diz o próprio álbum, "as boas" do velho Amilton Lelo.


Faixas:

01 Eu Preciso De Você
02 Ontem Eu Chorei Demais
03 Destino Cruel
04 Gostei Tanto De Você
05 Ondes Estás
06 Sem Você Eu Não Sou Gente
07 Boa Noite Amor De Minha Vida
08 Casinha Pobrezinha
09 Vou Vender Meu Coração
10 Noite Triste
11 Não Devemos Negar A Verdade
12 Não Tenho Medo Da Morte

linque

domingo, 1 de julho de 2007

REGINALDO ROSSI - (1994) BRILHANTES (14 GRANDES SUCESSOS)

Ainda nos anos 60, o pernambucano Reginaldo Rossi fez parte da Jovem Guarda, no grupo The Silver Jets. Como grande parte dos cantores brasileiros desta época, desceu pro "sul" pra ser paulista, mas fracassou! Sorte nossa!

Suas músicas traziam a temática e o estilo da moda jovem-guardista, mas também o inapagável sotaque nordestino e o incontestável jeitão de cabra-da-peste. Talvez isso o tenha salvo. Já havia certo cansaço, o Brasil já estava enfastiado de tantos projetos de "robertos carlos" e o tropicalismo já ganhava espaço com uma estética nova, regionalista, que viria pra enterrar o modismo vazio daquelas épocas de ditaduras... A identificação com o povão foi imediata. E mútua. Hoje, Reginaldo Rossi deve agradecer por isso. O seu retorno ao showbizz, e novamente ao sucesso, prova que quem nunca o abandonou foi mesmo o povo - a elite o "descartou", e consome agora outros produtos... -, mas também não deixa dúvidas de que Reginaldo Rossi tem versatilidade.

O MÚSICA DAS ANTIGAS traz uma coletânea das melhores. Músicas como "Tô Doidão", "Dance", "Vaya Con Dios", e "Cuca Fresca" denunciam esse estilo camaleão de Reginaldo Rossi. Estão presentes também os sucessos "Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme", "Era Domingo", "Pedaço de Mau Caminho", "Hei de Esquecer" e outras pérolas...

..."pérolas aos povos!"


Faixas:

01 Jeito de Santa
02 Tô Doidão
03 Dance
04 Mon Amour, Meu Bem, Ma Femme
05 Era Domingo
06 Ainda Amo Você
07 Vaya Con Dios
08 Pedaço de Mau Caminho
09 Nos Teus Braços
10 Tente Esquecer o Que Passou
11 Vem
12 A Força do Amor
13 Cuca Fresca
14 Hei de Esquecer

linque

terça-feira, 19 de junho de 2007

FRANKITO LOPES - (2006) GRANDES SUCESSOS


Frankito Lopes deveria ser considerado o precursor da world music no Brasil. Com seus penachos, cabeleira longa, indumentária indígena (mais de um apache americano que um nativo do Araguaia) e trejeitos de pop-star, "O Índio Apaixonado" faria sucesso neste mundo globalizado.

Antes desta balela toda de pós-modernidade, Frankito fez fama. Com canções como "Quero Dormir em Teus Braços", "Eu Canto Porque Sou Apaixonado", "Cantando e Chorando", "Deixe Meu Cabelo", "Opala Vermelho", e tantas outras pérolas, de rocks a guarânias, recheadas de "ui-ui-ui's", acabou transformando-se n'O Rei dos Bregueiros'. E tem súditos pra segurar o título.

Só por curiosidade, pra quem não conhece, sua voz lembra mesmo a do Babalu, o burrinho mexicano fiel escudeiro do Pepe Legal.

"Ui! Ui! Ui!"


Faixas:

01 Meu Desespero
02 Quero Dormir Nos Teus Braços
03 Eu Preciso De Você
04 É Paixão E Nada Mais
05 Índia Dengosa
06 Mais Uma Lição
07 Não Adianta, Mulher
08 Desse Jeito, Você Me Acaba
09 O Homem Mais Apaixonado
10 Minhas Canções De Amor
11 Boa Noite, Amor Da Minha Vida
12 Chorando Em Meu Apartamento
13 Meu Amor, Volte Para Mim
14 Explode, Coração
15 Rolando Em Meu Leito
16 Caminhando Sozinho
17 Índia
18 Eu Tenho Medo
19 Luciene
20 Desisto
21 Eu Te Amo, Meu Amor
22 Chega De Sofrer

linque

domingo, 10 de junho de 2007

EVALDO BRAGA - (1971) O ÍDOLO NEGRO

Este o primeiro disco de Evaldo Braga.

"O Ídolo Negro" teve uma infância conturbada: filho de pais desconhecidos, ficou no Serviço de Assistência ao Menor (SAM, a antiga FEBEM) até atingir a maioridade. Trabalhando então de engraxate, na porta da Rádio Mayrink Veiga, conheceu Osmar Navarro, que o levou a gravar o primeiro disco. Daí o sucesso: "A Cruz Que Carrego", "Meu Deus", "Só Quero", "Eu Desta Vez Vou Te Esquecer"… Depois, "Sorria, Sorria", "Tudo Fizeram Para Me Derrotar", "Eu Não Sou Lixo", "Mentira", sucessos do segundo álbum, até transformar-se na voz negra mais famosa do Brasil.

Até que quis investigar sobre o seu passado. Foi para Campos (RJ), onde, ao conversar com um velhinho, descobriu que sua mãe fora prostituta e o abandonou recém-nascido em uma lata de lixo. Daí pra frente começou a beber, vindo a falecer em 31 de janeiro de 1973 em um desastre de automóvel, numa curva da antiga BR-3 (Rio de Janeiro-Belo Horizonte), batendo de frente com um caminhão ao forçar uma ultrapassagem.


(Créditos do arquivo: Edilon.)


Faixas:

01 Meu Deus
02 Vem Cá
03 Quantas Vezes
04 Eu Amo Sua Filha, Meu Senhor
05 A Cruz Que Carrego
06 Não Atenda
07 Eu, Desta Vez, Vou Te Esquecer (Lucky People)
08 Eu Nunca Pensava
09 Por Que Razão?
10 Meu Delicado Drama
11 Hoje, Nada Tens Pra Dar
12 Só Quero


sábado, 9 de junho de 2007

LINDOMAR CASTILHO - (2000) GRANDES SUCESSOS

Lindomar Castilho começou sua carreira de cantor nos anos 60, no interior de Goiás. Só foi tentar a sorte na "cidade grande", mudando-se para São Paulo (SP), graças a Paulo de Grammont, tio de Eliane de Grammont (sua futura esposa e vítima) e diretor artístico de um grupo de comunicação paulista naquela época.

Foi ainda em 1961 que Lindomar gravou seu primeiro disco, um LP no qual cantava músicas do eterno boêmio Vicente Celestino. Era o primeiro de uma série de álbuns de sucesso. Na década de 70, quando estava no auge das paradas de sucesso, o músico chegou a vender 500 mil cópias de um único disco.

Várias de suas canções fazem sucesso até hoje, como as românticas "Você É Doida Demais" (regravada recentemente pela dupla Leandro & Leonardo) e "Eu Vou Rifar meu Coração" – do refrão "Eu vou rifar meu coração/Vou fazer leilão/Vou vendê-lo a quem der mais".

Depois de cumprir longa pena pelo assassinato de sua esposa, está de volta com um novo álbum ao vivo, tentando retomar sua carreira.


Faixas:

01 Eu Amo Sua Mãe
02 Eu Canto O Que O Povo Quer
03 Você É Doida Demais
04 Eu Vou Rifar Meu Coração
05 Coração Vagabundo
06 Ébrio De Amor
07 Mamarracho
08 Adeus Marina
09 Camas Separadas
10 Nós Somos Dois Sem Vergonhas
11 Mal Amada
12 Vou Tirar Você Deste Lugar
13 Feiticeira
14 Estou Perdendo A Cabeça Por Você
15 O Andarilho
16 O Rico Pobre
17 Alma Latina
18 Doce Memória
19 O Bebum
20 Quem Será?
21. Cabecinha No Ombro

linque

quarta-feira, 6 de junho de 2007

JOSÉ RIBEIRO - (1998) 20 SUPER SUCESSOS

José Cipriano, mais conhecido pela alcunha de José Ribeiro, é destes herdeiros do outrora tão explorado gênero bolerão, pelo qual despontaram tantos nomes da nossa música popular. Não o bolero da elite, dos deslumbrados de sapato laqueado, mas o da plebe, dos descalços.

Zé Ribeiro tem estilo único! É direto, simples, e melodramático. Canta com sua voz inconfundível os temas que o público gosta: traição, paixões devastadoras e odes aos amores de sua vida. E não tem a pretensão de ser Roberto Carlos... Que felicidade!

Dentre os clássicos desta coletânea, estão os hinos "A Beleza da Rosa", "Um Amor Vai, Outro Vem", "Aqui Estou Eu", "Um Coração Não É Brinquedo", a herética "Oração de Amor", a domingueira "Por Isso Eu Canto"...

Zé Ribeiro é o cara!


Faixas:

01 Meu Coração Que Não Te Esquece
02 Na Porta Da Cozinha
03 Canção Dos Namorados
04 Pensando Em Mariza
05 Um Amor Vai, Outro Vem
06 Suely
07 Nem Um Minuto A Mais
08 Aqui Estou Eu
09 Um Coração Não É Brinquedo
10 Sandra
11 Pensando Em Você
12 A Beleza Da Rosa
13 Oracão De Amor
14 Erro De Matrimônio
15 O Beijo
16 Perdoa, Amor
17 Olhos Negros
18 O Amor Existe
19 Tive Tanta Confiança
20 Por Isso, Eu Canto


GENIVAL SANTOS - (2000) SELEÇÃO DE OURO (20 SUCESSOS)

Com trinta e quatro anos de carreira completos em 2007, o paraibano Genival Santos chegou no Rio de Janeiro (RJ) ainda criança. Foi sapateiro, servente de pedreiro e ajudante de caminhoneiro até que, em 73, participou do programa de Flávio Cavalcanti em rede nacional, e enfim assumiu a carreira na música romântica. Ajudado por amigos como Dicró, João do Vale e o Trio Nordestino, lançou seu primeiro disco, que vendeu oitenta mil cópias – um número bastante alto para a época. Deixou sua marca no gênero romântico por meio de composições como "Mulher" e "Eu Te Peguei no Fraga". Depois de quarenta e cinco anos no Rio, Genival voltou para o Nordeste, instalando-se em Fortaleza (CE), onde continua em atividade.


Faixas:

01 Eu Não Sou Brinquedo
02 Livro Aberto
03 Se Errar Outra Vez
04 Se For Preciso
05 Vem Morar Comigo
06 Eu Te Peguei No Fraga
07 Sendo Assim
08 Paz E Amor
09 Vou Cair Na Gandaia
10 Crucificado Do Amor
11 Espelho Da Vida
12 Aquele Lar
13 Meu Coração Está Em Greve
14 Crise De Amor
15 Será Que Mereço Esse Castigo?
16 Sangue Do Meu Sangue
17 Por Que Será?
18 Preciso Parar Pra Pensar
19 A Cigana Me Enganou
20 Essa Menina É Demais


segunda-feira, 4 de junho de 2007

RAIMUNDO SOLDADO - (2000) SÓ AS ANTIGAS (23 SUPER SUCESSOS)

Raimundo Teles Carvalho foi o Raimundo Soldado. ''Soldado'' por causa da família. Seu pai foi soldado, seus irmãos também. Até mesmo Raimundo o foi, por nove anos. Depois largou a farda pela música popular, com suas dores de cotovelo e odes à terra natal.

Ele se balançava no galho mais baixo da árvore da Jovem Guarda, misturando música romântica sessentista com forrós e carimbós, sotaque de gente simples, mal-alfabetizada. Rendeu frutos desprezados pela ala chique, mas que sempre alimentaram muito bem o povão.

Na década de 1980, Raimundo Soldado ficou conhecido por canções como "Não Tem Jeito Que Dê Jeito" e "Abraçando Você", e fazia parte do elenco brega da extinta gravadora Copacabana. Foram seis vinis ao todo. Em CD, só há um trabalho, lançado em março de 2001 pela Gema. Aliás, dois. "23 Sucessos de Raimundo Soldado" foi lançado sem autorização, em Fortaleza. ''Nenhum centavo dos direitos foi repassado para o Raimundo Soldado. "Eu estava negociando o lançamento com a SomZoom, a Floral Music se meteu no meio e o Emanuel (Gurgel, empresário) deixou de lado. Mas a SomZoom ia fazer 40 mil CDs'', lembra William Martins, empresário do cantor.

(...) ''Quando se fala em referência no brega, não tem para onde correr. É Raimundo Soldado'', diz o músico Hérlon Robson, que chegou a gravar a canção "Você Gosta de Mim" no disco de sua banda de brega-rock Los Toros, em 1997. ''Ele era um cara super humilde. É uma cultura que se espalha sozinha. A única coisa que sei é que aquele disco, 'Abraçando Você', foi disco de ouro. Vendeu mais de 100 mil cópias. Acho que aquele vinil não foi passado para CD. Ele até fez algo em CD, mas também não tem tanta graça. O engraçado é que não é feito com a intenção de ser brega'', diz Hérlon.


(Fonte: NordesteWeb, 03/10/2001.)


Faixas:

01 Abraçando Você
02 Você Gosta De Mim
03 Naná
04 Não Vá Nessa
05 O Careca Engraçado
06 Minha Garota
07 Segredo Do Amor
08 Brega Do Celular 9822126
09 Devolva O Meu Retrato
10 Pagode Da Naná
11 Amor Não Se Faz Assim
12 Menina Da Praia
13 Não Quero Mais Você
14 Conquistando O Mundo
15 Os Dias Da Semana
16 Palavra De Rei
17 Sanfona Branca
18 Eu Sempre Fui Assim
19 Bem Não Se Paga Com Mal
20 Não Tem Jeito Que Dê Jeito
21 Vanerão Caboclo
22 Aquele Momento
23 Mulher Orgulhosa


quarta-feira, 30 de maio de 2007

BARTÔ GALENO - DISCOGRAFIA (ANOS 70)


Confesso que as pérolas da minha infância eram ouvir estas magníficas canções. Era curioso, pra mim, ainda menino, verificar o estado de transe dos que ouviam tão pujantes canções.

As calças apertadas, comprimindo os ovos, o maço de cigarros preso no ombro da camisa, os sapatos lustrados e semi-empoeirados, as cabeleiras. Isso era a parte estética, no âmbito da ética pululavam cafajestes que faziam mocinhas sofrerem de amor, e estes mesmos cafajestes sofriam com chifres e recusas amorosas. E o sofrimento era o novelo onde era tecida toda a cosmogonia daquela geração. Porque sofrer edificava. Ouvir canções que falavam, com ironia e humor, da dor de amor, uma dor construída, que não machuca de fato, apenas cria uma alegoria de um sofrimento de que todos precisamos para estarmos atentos, para sermos fortes, para aceitarmos menos tragicamente a morte da mãe, do irmão; do filho, Deus meu! As mesmas amigas que se felicitavam e alcovitavam a amiga a trair o namorado choravam ao lado dela quando era ela a traída. Todos eram atraídos por este jogo, e ainda o são.

Afora isso, belos poemas de amor, reflexões sobre o homem de seu tempo, artistas inteligentes sem o ranço do iluminismo elitista e eurocêntrico. Depois das gerações dos 30 e 40, com magníficas canções e sapientíssimas interpretações da alma brasileira, da alma das ruas, a geração dos 70 foi o nosso último suspiro. Depois disso... o silêncio, o axé e o trance!


Por Lelê Teles.


(1975) Só Lembranças


Faixas:

01. Só Lembranças
02. Esta Noite Eu Preciso Te Amar
03. Nesta Casa Onde Morou Felicidade
04. O Que Passou Deixa de Lado
05. Tudo Isso Porque Te Amo
06. Não Deixe Nada Pra Depois
07. Procuro Esquecer Que Te Amo
08. Coisas da Vida
09. Nosso Amor Já Morreu
10. Iza
11. Voltei
12. Palavras Perdidas

linque


(1977) Pelo Menos Uma Palavra


Faixas:

01 Pelo Menos Uma Palavra
02 Esta Saudade É de Você
03 De Que Vale Minha Vida Agora
04 Sorriso de Moça
05 Ela Não Vem
06 Longe de Você
07 Eu Quero
08 Querem Separar-me de Você
09 Vou Tirar Você Daqui
10 Sandrinha
11 Sidreira Viva
12 Você Vai Partir
13 Não Estou Sozinho

linque


(1978) No Toca-fita do Meu Carro


Faixas:

01 No Toca-fita do Meu Carro
02 Novamente
03 Que Amor Danado Que Arrumei
04 O Grande Amor de Minha Vida
05 Você Vai Se Arrepender
06 Pense, Meu Bem
07 Adeus, Solidão
08 Não Vou Voltar Atrás
09 Você Me Pertence
10 Lembranças do Rei
11 Velhos Tempos
12 Seja o Que For
13 Amor e Desprezo
14 Maria, Maria

linque


(1979) Tudo É Nada Sem Você


Faixas:

01 Tudo É Nada Sem Você
02 Sorriso Forçado
03 Problema de Amor
04 Imensa Euforia
05 Momentos Coloridos
06 Quem Ama Tem Ciúme
07 Você
08 Vem Ficar Perto de Mim
09 Saudade de Rosa
10 Onde Andará Meu Amor
11 Ninguém Além de Você
12 Assim Não Dá
13 Que Vontade de Te Ver
14 Violão Amigo

linque

domingo, 27 de maio de 2007

FALCÃO - (2006) WHAT PORRA IS THIS?

"What Porra Is This?" é o oitavo CD de Falcão. Se um dia existiu Mamonas Assassinas e Raimundos, é graças à cara-de-pau do gigante Falcão.

"What Porra Is This?" apresenta todas as marcas registradas de Falcão. Filosofia para as massas, esculhambação da "inteligência nacional" e bom humor. São onze composições próprias e uma regravação da espetacular "It's Not Mole Não (Severina Cooper)", de Acioly Neto.

Para ouvir de cabo a rabo.


Faixas:

01 Pato Donald no Tucupi
02 Amanhã Será Tomorrow
03 Fome Zero-A-Zero
04 Quem Não Tem Cão Não Caça
05 Doa a Quem Doar
06 Desculpe Ter-lhe Visto
07 Horóscopo
08 Alguma Coisa Acontece no Meu Bucho
09 A Sociedade Não Pode Viver Sem as Pessoas
10 Severina Cooper
11 Ordem e Progresso
12 Doze Perguntas Que Podem Cair na Prova

linque

ALÍPIO MARTINS - (1997) GRANDES SUCESSOS

Quando a lôra do Calypso ainda fedia a mijo, Alípio Martins saiu do Pará pra substituir Roberto Carlos como o maior cantor do Brasil. Se não tivesse morrido, teria feito com certeza. O "Rei" se cagava de medo.

(...) Alípio era foda! Ninguém no brega brasileiro foi mais inteligente, mais saliente e mais humorado que Alípio Martins...


(Fonte: Blogue Guabiras.)


Faixas:

01. Onde Andará Você
02. Garota
03. Vem Me Amar
04. Pra Mim, Você Morreu
05. Oh! Darcy
06. Você é Minha Paixão
07. Você é Que Sabe
08. Só Você
09. Carta de Amor
10. Louco de Amor
11. Essa Garota é Minha
12. Separação
13. Não Chora
14. Raios de Sol

linque

segunda-feira, 21 de maio de 2007

BARTÔ GALENO - (1998) SELEÇÃO DE OURO (20 SUCESSOS)

Bartô de volta...

E essa pra não restar dúvidas! Uma coletânea de responsa deste grande nome de nossa música popular(!) Depois do primeiro lançamento do MÚSICA DAS ANTIGAS, e após tantos pedidos, e outras tantas atitudes reacionárias estranhas via recados no Orkut, vai agora essa... Mas é de cum força!! Só de raiva!!

Fora as infinitas e inconclusivas discussões acerca da música popular, suas questões estéticas, dos limites do "bom-gosto", da "música de qualidade" etc etc etc, parece estranho que essa querela leve pessoas ao incômodo e ao mal-estar. Como pode uma expressão musical pura e despretensiosa causar tanto furor? Bartô deve estar rindo agora... E tomando todas pra acompanhar.

Quando perguntado certa vez se gostava de ser chamado de brega, respondeu: "Eu aceito, porque o nosso país é brega".

Nenhuma palavra mais.


Faixas:

01 Pelo Menos Uma Palavra
02 Sorriso De Moça
03 Vou Tirar Você Daqui
04 De Que Vale A Minha Vida Agora?
05 Querem Separar-Me De Você
06 Tudo É Nada Sem Você
07 Momentos Coloridos
08 Vem Ficar Junto De Mim
09 Sorriso Forçado
10 Você
11 Só Lembranças
12 Procuro Esquecer Que Te Amo
13 Esta Noite, Eu Preciso Te Amar
14 Coisas Da Vida
15 Nosso Amor Já Morreu
16 No Toca-Fita Do Meu Carro
17 O Grande Amor Da Minha Vida
18 Você Me Pertence
19 Lembranças Do Rei
20 Adeus, Solidão


sábado, 19 de maio de 2007

FRANCISCO CUOCO - (1974) FRANCISCO CUOCO (EP)

Demorou, mas tá aí!

O ano da revelação, 1974. A estrela, Francisco Cuoco. Quando todos pensavam que o cara era apenas um mero coadjuvante na vida - um ator ôco dos arranjos de cast da Rede Globo -, ele aparece para uma reviravolta espetacular na carreira. Os bastiões da música popular agradecem aos céus e aos infernos por isso! Um movimento involuntário se torna a salvação. Se o Chico assim pensou, ou se apenas uma brincadeira era, o que importa é que esse EP de divulgação se transformou numa relíquia, que o MÚSICA DAS ANTIGAS traz à tona.

O EP, que depois se converteria num LP repleto de tosqueiras, traz de um lado "Soleado", a clássica brega de todos os tempos, e de outro "Amo", parte de Aria (da Orchestral Suite No. 3) de Bach, ambas tendo como letras poemas do Helio Matheus ("Todo o Tempo do Mundo" e "Amo"), recitadas/gritadas/escarradas pelo nosso bardo.

Pra cantar, digo, recitar junto...


"Todo o Tempo do Mundo"
(Helio Matheus)

Hoje tenho tempo
Tenho todo o tempo do mundo
Para pensar em nós
Para pensar em ti, em mim
Em todas as pequenas coisas que fizemos
Que até agora não entendo
Por que te amo
Te amo, e como te quero

Me deito nas nossas manhãs
E sinto o calor de nossos corpos juntos
Formando um acorde maravilhoso
Que nunca mais pude esquecer
Recordas as imagens cheias de carícias
E sussurros
Quanto sinto, quanto te quero

Tudo se acabou
Tudo se acabou como tudo acaba quase sem querer
Igual ao rio que se perde no mar
Não, não
Não foi culpa tua nem minha
Por causa desse bobo orgulho
Perdemos mil coisas boas
Mil coisas boas

Hoje tenho tempo
Tenho todo o tempo do mundo
E quanto mais penso
Mais te adoro te desejo
Tudo porque te amo
Eu te quero
Como te quero
Como te quero 


Faixas:

01 Soleado (Todo o Tempo do Mundo)
(Zacar - adapt.: Ray Giraldo)
(versão e adapt.: Helio Matheus)

02 Amo (Aria)
(Bach)
(versão e adapt.: Helio Matheus)

linque

BARTÔ GALENO - (1977) NO TOCA-FITA DO MEU CARRO

Simplesmente, Bartô...

Bartolomeu da Silva nasceu em 1950, na Paraíba, mas foi criado na cidade potiguar de Mossoró. Lançou seu terceiro disco, "No Toca-Fitas do Meu Carro" - que o MÚSICA DAS ANTIGAS tem o prazer de compartilhar -, no fim da década de 70, e a canção-título é um de seus maiores sucessos até hoje. "Só Lembranças", seu disco de 75, emplacou "Cadeira Vazia" e "Amor Vagabundo", ambas divididas com Carlos André, seu parceiro mais freqüente. Em mais de 20 anos de carreira romântica, foi regravado pelos Trios Irakitan e Nordestino, além de ter varrido o país com outro hit, "Amor Com Amor Se Paga".


(Fonte: iMusica.)


Faixas:

01 No Toca-fita do Meu Carro
02 Novamente
03 Que Amor Danado que Arranjei
04 O Grande Amor da Minha Vida
05 Você Vai se Arrepender
06 Pense, Meu Bem
07 Adeus, Solidão
08 Não Vou Voltar Atrás
09 Você Me Pertence
10 Lembranças do Rei
11 Velhos Tempos
12 Seja o que for
13 Amor e Desprezo
14 Maria, Maria

linque

quarta-feira, 16 de maio de 2007

BARROS DE ALENCAR - (2000) GRANDES SUCESSOS

"Alô, mulheres, segurem-se nas cadeiras!"

Essa é uma das frases desta figura mitológica que os mais distraídos só conheceram como apresentador e locutor de rádio. Para os mais inteirados, o MÚSICA DAS ANTIGAS traz o Barros de Alencar cantor, numa coletânea das melhores, embalando os sucessos que fizeram uma geração cantar.

Os destaques aqui vão para "Apenas 3 Minutos", o hino brega "Soleado" e a clássica "Prometemos Não Chorar" - aquela do cara dando o fora numa dona no telefone e ela acabando num choro lamentável, e que rendeu paródias e paródias nas paradas populares deste Brasilzão.

Não dá pra entender porquê - ou talvez por este fato mesmo (de serem populares) - essas coisas ficaram no limbo da história. ...Mas quem faz a história? Estamos aqui pra isso!


Faixas:

01 Meu Amor
02 Noites
03 Meu Amor É Mais Jovem Do Que Eu
04 Quem É?
05 Natali
06 Estou Ficando Louco
07 O Maior Amor Do Mundo
08 Apenas Três Minutos
09 Não Vá Embora
10 Os Homens Não Devem Chorar (Nova Flor)
11 Soleado
12 Ansiedade
13 Emanuela
14 Olhos Tristes
15 Ana Cristina
16 Quero Beijar-te As Mãos
17 A Despedida
18 Prometemos Não Chorar
19 Namorados


quinta-feira, 10 de maio de 2007

FRANCISCO CUOCO - (1977) DUAS VIDAS

Pra quem não conhecia a faceta cantor do galã Francisco Cuoco, taí a chance... Pra quem ouviu "Soleado" (lançado num compacto simples pela RCA, em 1974) e esperava por outras raridades, essa é pra se esbaldar. Mas, se alguém disse "cantor", foi um lapso! Francisco Cuoco não canta(!), e nunca cantou. Assim como nunca foi ator...(?)...(!)

O compacto "Duas Vidas" traz uma combinação perfeita de uma música da parceria Baden e Vinícius, da faixa título, de um lado, e o hit brega dos 70' "My Life", à la Michael Sullivan, em "Vida", época em que o Brazil deslumbrado cantava em inglês. As letras são impagáveis!

É lama da mais alta qualidade! Presentão de Dia das Mães!


Faixas:

01 Duas Vidas (Poema de Hélio Matheus / Música "Deixa", de Baden e Vinícius)
02 Vida (Poema de Sílvio César / Música "My Life", de Richard Lee, Michael Sullivan e Mark)

linque

domingo, 6 de maio de 2007

ODAIR JOSÉ - (1977) O FILHO DE JOSÉ E MARIA

Além de ter sido censurado na época, com a música “Páre de Tomar a Pílula”, o estilo de falar abertamente de sexo nas canções levou Odair José a ser excomungado pela igreja católica, por uma composição que falava de amor e pregava que não era preciso estar casado no papel.

Após o incidente, Odair José resolveu lançar o disco “O Filho de José e Maria”, e todo mundo disse que ele havia ficado maluco. Ele escreveu várias canções que falavam de cada fase da pessoa, “a primeira é quando a pessoa nasce e vai até a última que é quando o cara morre”, declarou José.

O disco ficou conhecido como uma ópera-rock, ou também como o álbum progressivo de Odair José. A igreja não gostou, porque achavam que o disco falava de Jesus Cristo, e também tinha uma música que contava a história de um homem que ficava doidão e outra que ele não sabia se era bicha ou macho. Era um disco pra ser tocado em teatro, e não para tocar num clube, ou nos inferninhos onde os espectadores ouviam o show enchendo a cara de cachaça. Esse disco não foi vitorioso comercialmente, mas foi um disco muito bem feito.

A inspiração para este álbum partiu dos livros do escritor Kalil Gibran, com “O Profeta”, e a vontade de montar uma banda de garagem com um som cru e rasgado, bem rock’n’roll.


(Fonte: Eu Ovo.)


Faixas:

01 Nuca mais
02 Não me venda grilos (por direito)
03 Só pra mim, pra mais ninguém
04 É assim
05 Fora da realidade
06 O casamento
07 O filho de José e Maria
08 O sonho terminou
09 De volta às verdadeiras origens
10 Que loucura

linque

ODAIR JOSÉ - (1973) ODAIR JOSÉ

"Música de baixa qualidade". "Superstar". "Artista de mau gosto". "Sexo, drogas e rock'n'roll". "Idolatria juvenil". "Canções de amor". "Sucesso popular". "Hormônios em ebulição". Decifrar um artista pop é como lapidar uma pedra preciosa em que cada polimento revela uma nova superfície. Nelas, é possível ver tudo, céu e inferno numa mesma camada, refletindo as ansiedades de quem vê. Como Elvis, Beatles, Roberto Carlos, James Brown, Ramones, RPM, Madonna, Metallica, Mamonas Assassinas ou Eminem, Odair José também atraiu amor e ódio em sua longa caminhada - cravando sucessos no imaginário popular que até hoje nos ajudam a refletir sobre a natureza de nossos preconceitos.

Nos arquivos oficiais e nas enciclopédias de música, o goiano Odair José não ocupa sequer o espaço de um verbete. Na exceção à regra, "Eu Não Sou Cachorro, Não", livro do baiano Paulo César de Araújo, ganhou um capítulo. Nas pastas da censura militar, é freqüentador assíduo, com letras condenadas por, como lembra o compositor, "cantar o amor da cama, não o do portão". Já na memória auditiva do "Baixo Brasil", onde sua ausência de diploma não o impediu de virar Ph.D. em comportamento e sentimento populares, tem lugar cativo com "Uma Vida Só" (ou "Pare de Tomar a Pílula"), "Eu Vou Tirar Você Desse Lugar" e "Deixa Essa Vergonha de Lado", sucessos do início dos anos 70, quando, depois da fase de seguidor de Roberto Carlos, passou a olhar o Rei de lado, não mais de baixo para cima. Naquele momento, classificado de Bob Dylan da Central do Brasil, também reinava.

O compositor ferveu na fase aquecida da repressão militar e da indústria fonográfica. A venda de discos passou, entre 1970 e 1976, de 25 milhões de unidades para 66 milhões. O consumo de toca-discos também explodiu no período. Isso significa que as classes C e D, antes adeptas sobretudo do rádio, passaram a ser compradoras de LPs. E ajudaram na consagração de muitos intérpretes e cantores de fora do panteão da MPB e do tropicalismo.

Odair nasceu em Morrinhos, Goiás, e foi crooner de banda na adolescência, em Goiânia, até conhecer Roberto Carlos, aos 18 anos, em 1967, nos bastidores de um baile em que ambos cantaram. Estimulado pelo ídolo, que é uma de suas principais referências assumidas (ao lado de Altemar Dutra, Anísio Silva e Peter Frampton), mudou-se para o Rio de Janeiro. Sem dinheiro, morou na rua. Foi abrigado pelo compositor Ataulfo Alves, sobreviveu como cantor de boate, conviveu com o sambista Zé Ketti, conheceu a dor da gente simples. A partir de 1970, emendou sucessivas gravações, ganhou o mercado latino, injetou guitarras e pianos incomuns para suas derivações do bolero, foi vaiado com Caetano Veloso em um show (o Phono 73) no qual dividiram o palco e montou uma inventiva e fracassada ópera-rock.

Suas letras, dotadas de realismo direto, nasceram da experiência inicial no Rio. "Amadureci um ano em um dia ao observar a vida das pessoas com quem convivia no centro e na Lapa", lembra, com seu ar tímido e olhar tristonho, expressão de um assumido estado de solidão e melancolia. "Não sou compositor, mas um observador. Meus assuntos existem, não preciso inventá-los. Eu apenas faço música com a vida alheia e ela às vezes é dolorida", filosofa.

O historiador Paulo César de Araújo, autor do livro "Eu Não Sou Cachorro, Não", sobre os vetos dos militares aos compositores rotulados de bregas, trata Odair como transgressor. Em um momento de repressão, ele não teve papas na língua. Suas letras foram vetadas por tratar de sexo ("Em Qualquer Lugar": A gente ama até demais/e quando tem um grande amor/a gente faz em qualquer lugar), de drogas ("Viagem": Venha comigo em minha viagem/não se preocupe/eu tenho as passagens), homossexualidade ("Forma de Sentir": Sei que és entendido e vais entender/que eu entendo e aceito tua forma de amor) e religião ("Cristo, Quem É Você?": Lhe procurei/fui à sua casa/mas lá não lhe encontrei). Nenhuma metáfora.

Nenhuma canção de seu repertório repercutiu tanto quanto "Uma Vida Só", ou "Pare de Tomar a Pílula" (Pare de tomar a pílula/porque ela não deixa nosso filho nascer). A letra caiu na boca do povo, mas chegou a ser proibida por algum tempo, por contrariar o governo. "O regime militar patrocinava a entidade Bemfam, que desenvolvia campanha de controle de natalidade nas famílias de baixa renda, e se empenhava na farta distribuição de anticoncepcionais", escreve Araújo em "Eu Não Sou Cachorro, Não". O cantor desobedeceu à proibição em shows, a pedido do público, e foi parar na delegacia por atender o povo. Odair liderou a lenta transfomação do pudor brasileiro nos anos 70 (acompanhado pelas pornochanchadas, pelo jornal Pasquim, e por Leila Diniz), ao mesmo tempo que dominava as ondas do rádio e lhe imputavam o título de "cantor das empregadas domésticas", como se isso fosse um demérito.

Aprisionado nas últimas duas décadas na cela pulverizante do brega, Odair está virando cult para uma nova geração vacinada contra elitismos redutores, que não fica cega e surda para manifestações não consumidas pela elite. O tributo Vou Tirar Você Desse Lugar (título de seu histórico compacto, sucesso fenomenal em 1972), com 22 músicas gravadas por ele interpretadas por artistas do cenário pop e rock atual, foi lançado em agosto de 2005 acendendo velas para ressuscitá-lo do limbo mercadológico.


Fontes: Revista Bizz (Alexandre Matias, Abril de 2006) e Revista Época ("Do brega às cabeças", Cléber Eduardo, Junho de 2005).


Faixas:

01 Deixe essa vergonha de lado
02 Os anjos
03 Eu, você e a praça
04 E ninguém liga pra mim
05 De repente
06 Uma vida só [Pare de tomar a pílula]
07 Revista proibida
08 Eu sinto pena e nada mais
09 As noites que você passou comigo
10 Quem é esse rapaz?
11 Cade você?
12 Que saudade de você

linque

sexta-feira, 4 de maio de 2007

ODAIR JOSÉ - (1974) LEMBRANÇAS


O MÚSICA DAS ANTIGAS traz o velho Odair José na sua melhor fase... Depois do lançamento no ano anterior (1973) do antológico "Odair José", que causou impacto - inclusive por sofrer ataques da censura (!) - "Lembranças" continua a série de boas canções. Indo do romantismo de "A Saudade Vai Mexer Com A Gente", "Noite dos Desejos", além da faixa título "Lembranças", a sutis críticas à vida privada como "Cotidiano Nº 2", há no repertório algumas pérolas de Donizette, como "A Noite Mais Linda Do Mundo (Felicidade)", até a famosa e inusitada parceria com Gil, "Amantes". É de cortar o coração...


Faixas:

01 Lembranças
02 Noite de desejos
03 A saudade vai mexer com a gente
04 Alegria triste
05 Amantes
06 Barra pesada
07 Cotidiano Nº 2
08 Você que já foi tudo para mim
09 Eu ainda te amo
10 Seja o que Deus quiser
11 Eu preciso de você
12 A noite mais linda do mundo (Felicidade)

linque

segunda-feira, 30 de abril de 2007

FALCÃO - DISCOGRAFIA COMPLETA

Cantor e compositor cearense, nascido na cidade de Pereiro, Marcondes Falcão Maia apareceu no começo dos anos 90 com releituras satíricas da música brega em espetáculos que primavam pela teatralidade.

Seu primeiro disco, “Bonito, Lindo e Joiado” (1992), lançado de maneira independente (e depois relançado pela BMG Ariola), chamou a atenção do público do Sudeste com “I'm Not Dog No”, versão em inglês macarrônico de “Eu Não Sou Cachorro, Não”, sucesso do ícone brega Waldick Soriano. No disco seguinte, “O Dinheiro Não é Tudo, Mas é 100%” (1994), Falcão voltaria à receita com “Black People Car” (versão idem de “Fuscão Preto”, popularizada na voz de Almir Rogério) e se notabilizaria com composições do tipo “Onde Houver Fé, Que Eu Leve a Dúvida” e “As Bonitas Que Me Perdoem, Mas a Feiúra É de Lascar”. Já conhecido de boa parte do público por sua singular figura (um sujeito com 1,90 m de altura vestido com roupas de cores berrantes, em combinações esdrúxulas), ele teve seu primeiro grande sucesso, “Hollyday Foi Muito”, em seu terceiro disco, “A Besteira É a Base da Sabedoria” (1995). Em seguida, lançou “A Um Passo da MPB” (1997, do sucesso “I Love You Tonight”) e “Quanto Pior, Melhor” (1998, em que regravou “Tu És O MDC da Minha Vida”, bem-humorada incursão de Raul Seixas e Paulo Coelho na seara do brega) e “500 Anos de Chifre” (1999, disco-tributo aos grandes mestres do gênero, como Alípio Martins, de “Lá Vai Ele”).


(Fonte: CliqueMusic.)


(1992) Bonito, Lindo E Joiado


Faixas:

01 Merenda Escolar
02 Canto Bregoriano II
03 I’m Not Dog, No (Eu Não Sou Cachorro, Não)
04 Vão-se Os Cabaços, Ficam-se Os Desgostos
05 Sou Mais No Tempo Do Figueiredo
06 O Amor Que Antes De Ser Já Era
07 Oportunidade Única
08 Desamassamento, Solda E Pintura
09 Só É Corno Quem Quer
10 A Cura Da Homeopatia Pelo Processo Macrobiótico
11 Um Bodegueiro Na FIEC

linque


(1994) O Dinheiro Não É Tudo, Mas É 100%



Faixas:

01 Onde Houver Fé, Que Eu Leve A Dúvida
02 As Bonitas Que Me Perdoem, Mas A Feiúra É De Lascar
03 O Desgosto Que Tua Mãe Me Deu
04 Prometo Não Ejacular Na Sua Boca
05 Isaltina
06 Ai! Minha Mãe
07 Um Bodegueiro Na FIEC
08 O Dinheiro Não É Tudo, Mas É 100%
09 Black People Car (Fuscão Preto)
10 Ah! Uma Jaula
11 A Influência Da Farinha Na Alimentação Cearense
12 A Volta Do Regresso

linque


(1995) A Besteira É A Base Da Sabedoria



Faixas:

01 Esculhambação Sim, Frescura Não!
02 A Terra Há De Comer (Já Que Eu Não Comi)
03 Lends Picantis In Anus Autrem Q’sucus Est
04 A Besteira É A Base Da Sabedoria
05 Caubói Do Ceará
06 Mais Antes Mamãe Não Tivesse Me(N)Tido
07 Confesso Que Fresquei
08 Se Eu Morrer Sem Gozar Do Seu Amor, Minha Alma Lhe Perseguirá De Pau Duro
09 Todo Castigo Pra Corno É Pouco
10 Não Tem Jeito Que Dê Jeito
11 Holliday Foi Muito
12 Concerto Em Qualquer Tom Para Triângulo E Roe-Roe

linque


(1997) A Um Passo Da MPB


Faixas:

01 A Sacanagem É Roxa
02 A Mulher É Um Gênero Humano
03 Guerra De Facão
04 Quanto Mais Principalmente
05 G.R.E.S. Eu E Meu Cachorro
06 Ou É, Ou Deixa De É
07 Do Mastigativo, Ao Defectivo
08 Orai E Vigiai
09 I Love You Tonight
10 Mulher Mala
11 Não Mude Mais Nada
12 O Movimento Está Parado

linque


(1998) Quanto Pior, Melhor



Faixas:

01 Veneno Também Mata
02 Tu És O MDC Da Minha Vida
03 O Amor Que Antes De Ser Já Era
04 Quebrando O Cabresto
05 Cesta Básica
06 Um País Se Faz Com Homens, Mulheres E Meninos
07 Sine Pornô
08 Nadas A Ver
09 Uma Noite Não É Nada
10 Menino É Bicho Infantil
11 Gente Humana
12 Vote Em Mim E Não Se Preocupe
13 Aí, Mamãe!!!

linque


(1999) 500 Anos De Chifre: O Brega Do Brega


Faixas:

01 Texto De Abertura
02 A Esperança É A Única Que Morre
03 Lá Vai Ele
04 My Little Coffer Of Love (Meu Cofrinho Do Amor)
05 Taxista
06 Vida De Corno
07 Se Meu Amor Não Chegar
08 Placa De Venda
09 Carro Hotel
10 Eu Te Peguei No Fraga
11 Arma De Vingança
12 Coração De Plástico
13 Menino De Colo

linque


(2000) Do Penico À Bomba Atômica



Faixas:

01 Ela Me Traiu Usando O Resto Das Camisinhas
02 A Multa
03 Mesa De Necrópsia
04 No Cume
05 A Volta Dos Que Não Foram
06 Profissional Raparigueiro
07 Amor Canibal
08 Arre Égua, Mamãe
09 Rabichola De Jumento
10 A + B
11 Tem Gente
12 Cabaré Globalizado
13 Dentadura Da Teresa
14 Cunhado Na Família
15 O Bolo
16 Diz, Amor

linque


(2005) What Porra Is This?


Faixas:

01 Pato Donald No Tucupi
02 Amanhã Será Tomorrow
03 Fome Zero-A-Zero
04 Quem Não Tem Cão Não Caça
05 Doa A Quem Doar
06 Desculpe Ter-lhe Visto
07 Horóscopo
08 Alguma Coisa Acontece No Meu Bucho
09 A Sociedade Não Pode Viver Sem As Pessoas
10 Severina Cooper (It's Not Mole Não)
11 Ordem E Progresso
12 Doze Perguntas Que Podem Cair Na Prova

linque


(2014) Sucessão De Sucessos Que Se Sucedem Sucessivamente Sem Cessar



Faixas:

01 Você É A Letra X Da Palavra Love
02 Coração De Frango
03 Não Há Quem Aguente
04 Mulheres Modernas
05 Adonde Está O Amor
06 Feito Vaca
07 Tradução Simultânea
08 Fumando Numa Quenga
09 Tanto Faz Ser Um, Como Ser Outro
10 Quem Nasce Para Tatu Morre Cavando
11 Prodologicadamente
12 Lasque A Rola Em Tonha (Like A Rolling Stone)
13 Agora Pronto!

linque

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Linque quebrado?

Encontrou algum linque quebrado?

Marcadores

A Patotinha (1) Abdias (2) Abílio Farias (7) Abílio Manoel (1) Absyntho (1) Adelino Nascimento (12) Adilson Ramos (8) Adriana (7) Adriano Santa Cruz (1) Agepê (1) Agildo Ribeiro (1) Agnaldo Rayol (2) Agnaldo Timoteo (17) Alcides Gerardi (1) Aldo Sena (1) Alípio Martins (14) Almir Ricard (1) Almir Rogério (7) Altemar Dutra (2) Amado Batista (18) Amelinha (1) Amilton Lelo (10) André Amazonas (1) Angela Maria (4) Angélica (1) Angelo Máximo (10) Anísio Silva (2) Antonio Carlos e Jocafi (1) Antonio Marazona (1) Antonio Marcos (21) Ary Lobo (1) Ary Toledo (1) Assisão (1) Augusto César (3) Babau do Pandeiro (6) Balthazar (7) Banda Cabeça Enfeitada (1) Barros de Alencar (12) Bartô Galeno (15) Bebeto (2) Benito di Paula (2) Beto Barbosa (6) Betto Dougllas (5) Biafra (7) Bianca (2) Bicho Véi do Brega (1) Boas-vindas (1) Borba de Paula (2) Canarinhos de Petrópolis (1) Capital do Sol (1) Carlito Gomes (3) Carlos Alberto (6) Carlos Alexandre (20) Carlos André (9) Carlos Colla (3) Carlos Gonzaga (2) Carlos José (1) Carlos Santos (8) Carlos Silva (1) Carmen Silva (12) Cast RCA (1) Cauby Peixoto (6) Célio Roberto (5) Cesar Sampaio (8) Chacrinha (1) Chico Amaro (1) Chico Lopes (1) Cid Moreira (1) Claudette Soares (2) Claudia (1) Claudia Barroso (11) Cláudia Telles (3) Claudio de Barros (1) Claudio Di Moro (3) Cláudio Fontana (4) Claudio Galeno (1) Claudio Roberto (3) Clemilda (1) Coro Infantil da FuNaBEM (1) Coroné (1) Coronel Ludugero (1) Cristiano Neves (1) Demetrius (1) Denis e Demian (1) Diana (18) Dicró (1) Dino Rossi (1) Discografia (14) Donizeti (2) Dory Edson (1) Dudu França (4) Ed Wilson (1) Édel Reis (2) Edelson Moura (1) Edson de Oliveira (1) Edson Duarte (4) Eduardo Araújo (3) Eli Correa (1) Eliana Pittman (1) Elino Julião (10) Elisângela (3) Elizabeth (2) Elymar Santos (1) Erasmo Carlos (7) Evaldo Braga (20) Evaldo Freire (8) Evinha (2) Fábio (1) Fábio Jr (9) Fafá De Belém (2) Falcão (7) Fernando Lelis (10) Fernando Luiz (5) Fernando Mendes (25) Franc Landi (1) Francis Dalva (3) Francisco Cuoco (13) Francisco Petrônio (7) Frankito Lopes (14) Fredson (6) Genghiskan (1) Genival Lacerda (9) Genival Santos (12) Geraldo Nunes (3) Giane (3) Gilberto Lemos (4) Gilberto Reis (1) Gilliard (14) Gilson (3) Gretchen (7) Harmony Cats (1) Heleninha (1) Heleno (5) Helio Portinhal (2) Hermes Aquino (1) Ismael Carlos (10) Ivan Peter (3) Ivon Cury (1) J. Aquino (5) Jacinto Limeira (1) Jair Rodrigues (1) Jane e Herondy (12) Jayne (1) Jerry Adriani (16) Jessé (1) Joanna (3) João Dias (1) João Gonçalves (2) João Só (1) João Viola (2) Joelma (9) Jorginho do Império (1) José Augusto (19) José Augusto Sergipano (1) José Orlando (4) José Ribeiro (8) José Roberto (5) Juanita (3) Juanita e Richard (3) Juca e Jeca (1) Juca Medalha (1) Julia Graciela (2) Júlio César (6) Júlio Nascimento (4) Kátia (13) Katia Cilene (1) Kleber (1) Lafayette (3) Latino (1) Leila (1) Leila Silva (1) Lenita Santos (1) Leno (2) Leno & Lilian (3) Leonardo (2) Lilian (9) Lindomar Castilho (17) Lindomar Lins (1) Lindú (1) Los Angeles (1) Luan e Vanessa (1) Luiz Américo (2) Luíz Caldas (1) Luiz Carlos Magno (3) Mamonas Assassinas (1) Mara (1) Marcelo (1) Marcelo Reis (4) Marcio França (3) Marcio Greyck (16) Marcio José (11) Marcos Roberto (10) Marcos Sabino (1) Marcus Pitter (1) Maria Alcina (3) Marinês (1) Mario Gomes (1) Maritza Fabiani (1) Marizinha (1) Markinhos Moura (3) Martinez (1) Martinha (7) Matogrosso e Mathias (1) Maurício Mattar (1) Maurício Reis (9) Maurinho da Mazzei (1) Maurinho Jr (1) Mauro Celso (3) Mauro Cotta (1) Mauro Sérgio (1) Meire Rose (1) Messias Holanda (4) Michael Sullivan e Paulo Massadas (2) Miguel Angelo (1) Miguel De Deus (1) Miltinho Rodrigues (1) Moacyr Franco (10) Nahim (3) Nalva Aguiar (6) Nelson Gonçalves (8) Nelson Montenegro (1) Nelson Ned (8) Nilton César (10) Nilton Lamas (5) Nora Ney (5) Noriel Vilela (1) Núbia Lafayette (10) Odair José (30) Onildo Almeida (1) Orlando Dias (4) Orlando Silva (2) Os 3 do Nordeste (1) Os Incríveis (2) Osvaldo Oliveira (2) Oswaldo Bezerra (5) Ovelha (5) Patrick (1) Paulo de Paula (4) Paulo Diniz (3) Paulo Henrique (2) Paulo Márcio (3) Paulo Moraes (1) Paulo Sergio (19) Peninha (9) Perla (19) Pholhas (1) Pinduca (3) Raimundo Soldado (9) Raul Gil (1) Raul Seixas (3) Raulzinho (1) Regina Duarte (1) Reginaldo Rossi (27) Renato e Seus Blue Caps (2) Ricardo Braga (11) Rita Cadillac (1) Ritchie (2) Roberto Barradas (2) Roberto Barreiros (2) Roberto Leal (6) Roberto Luna (1) Roberto Müller (6) Roberto Nunes (1) Ronaldo Adriano (6) Ronaldo Resedá (1) Ronnie Von (8) Rony Cardoso (1) Rosana (7) Rosemary (8) Rossini Pinto (1) Rufino (1) Sandra De Sá (1) Sandro Becker (4) Sara Sonaya (1) Sarajane (1) Sérgio Mallandro (9) Sérgio Reis (5) Sidney Magal (8) Silvana (1) Silvinha (2) Silvinho (3) Sol (2) Sueli (1) Sula Mazurega (1) Sula Miranda (1) Sylvinho (2) Tarântulas (1) Tarcys Andrade (1) Teixeira de Manaus (2) Tetê Espíndola (1) The Clevers (1) The Fevers (6) The Golden Boys (1) Tião Macalé (1) Tiririca (2) Tony Damito (3) Trio Esperança (1) Trio Irakitan (1) Trio Nordestino (1) Trio Xamego (1) Tutti-Frutti (1) Vanusa (12) Vários Artistas (120) Verônica Sabino (1) Vic McKenzie (1) Virgilio (1) Wagner Montes (2) Waldick Soriano (28) Waldir Ramos (3) Waldirene (6) Waleska (1) Walter Basso (3) Wanderléa (8) Wanderley Andrade (1) Wanderley Cardoso (8) Wando (14) Wilson Miranda (1) Yahoo (1) Zé Calixto (1) Zenilton (3) Zezinho Barros (1)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...