quarta-feira, 19 de agosto de 2015

VÁRIOS - (2015) SELEÇÃO DE CARLOS COLLA

Em razão da passagem recente da data de aniversário do compositor Carlos Colla, ocorrida no último dia 5 de agosto, e também  para suprir de certa forma a escassez de material do mestre da MPB na rede, o MÚSICA DAS ANTIGAS posta esta modesta coletânea de sucessos, na voz dos seus principais intérpretes.

A "Seleção de Carlos Colla" tenta resgatar algumas das inúmeras composições de sucesso daquele que se tornou sinônimo de música popular brasileira e que, sem dúvidas, está entre os principais inventores do imaginário romântico brasileiro.


Faixas:

01 Leandro & Leonardo - Sonho Por Sonho
02 Roberto Carlos - Falando Sério
03 Bruno & Marrone - Vidro Fumê (Ao Vivo)
04 Bruno & Marrone - Bijuteria
05 Alcione - Além Da Cama
06 Sandra De Sá - Solidão
07 Vanusa - Daqui, Pra Frente
08 Vanusa - Cortinas
09 Erasmo Carlos - Pra Que Mentir?
10 Grupo Desejos - Mel Na Minha Boca
11 Fafá De Belém - Meu Disfarce
12 Fafá De Belém - Anoiteceu
13 Nilton César e Wanderléa - Sinto Muito
14 Chitãozinho & Xororó - Tô Deixando Você
15 Matogrosso & Mathias - Na Hora Do Adeus
16 The Fevers - Orgulho Não Leva A Nada
17 Michael Sullivan - Maior Que Eu
18 Wando - Deus Te Proteja De Mim
19 Wanderley Cardoso - Doces Algemas
20 Wanderley Cardoso - Avenida Paulista
21 Daniel - Eu Quero Ter Felicidade
22 Daniel - Um Gato Que Vai (Un Gatto Nel Blu)
23 Ed Marques & Alessandro - Sol Do Meio Dia
24 Ed Marques & Alessandro - Sotaque Do Interior
25 Legião Urbana - Hoje, A Noite Não Tem Luar


MARTINHA - (2000) SELEÇÃO DE OURO (20 SUCESSOS)

Martinha, Marta Vieira Figueiredo Cunha, era filha de Dona Ruth, a famosa Candinha, que assinava a coluna "Mexericos da Candinha", na fase áurea da "Revista do Rádio", editada pelo jornalista Anselmo Domingos, desde 1948 até o final da década de 1960. Filha única, desde pequena cantarolava músicas que compunha. Aprendeu a tocar piano aos cinco anos de idade.

Trazida por Roberto Carlos de Minas Gerais, Martinha iniciou a carreira em 1966, participando do movimento da Jovem Guarda e ficou conhecida como "Queijinho de Minas", entre os fãs do movimento. Seu primeiro sucesso foi a composição, de sua própria autoria, "Eu Te Amo Mesmo Assim", gravada no mesmo ano num compacto simples que trazia ainda a música "Quem Disse Adeus Agora Fui Eu". Em 1967, teve a composição "Só Sonho Quando Penso Que Você Sente o Que Eu Sinto" gravada por Erasmo Carlos, na gravadora RGE. No mesmo ano, a cantora lançou outro compacto, com as músicas "Barra Limpa" e "Não Brinque Assim", pela Rozenblit, e o LP "Eu Te Amo Mesmo Assim". Em 1968, gravou o disco "Martinha", obtendo seu maior sucesso, com a canção "Eu Daria a Minha Vida", de sua autoria, gravada por ela inicialmente e logo depois por Roberto Carlos, também com enorme sucesso. 

Com o declínio da Jovem Guarda, Martinha passou a cantar músicas românticas. Ao longo da década de 1970, participou de festivais internacionais em vários países da América Latina. Em 1970, lançou o disco "Martinha", destacando-se a canção "Vai Ser Assim". Seguiram-se os discos "Martinha", (1972), "Como Antigamente" (1974), "Como É Que Vai Ficar?" (1975), "Martha Vieira Figueiredo Cunha" (1981), "Martinha" (1985). Também em 1985, teve a composição "Vem Provar de Mim", em parceria com César Augusto, gravada por Chitãozinho & Xororó. No ano seguinte, a mesma dupla gravou "Queixas", outra de suas parcerias com César Augusto. Em 1986, voltou às paradas de sucesso com "Pouco a Pouco" e "Que Homem É Esse?", registradas no disco "Martinha". Depois vieram mais discos: "Aos Amigos, Aos Amantes, A Você", de 1987, e dois discos de título "Martinha", ambos de 1988. Como compositora, teve músicas gravadas por intérpretes como Ângela Maria, Moacyr Franco, Wanderley Cardoso, Perla, Leno, Paulo Sérgio e Ronnie Von. Ao longo da década de 1990, Martinha passou a compor para duplas sertanejas como Leandro & Leonardo e Chitãozinho & Xororó. Em 1992, Chitãozinho & Xororó gravaram "Nossa História". 

Atualmente, Martinha vive numa granja, na região da grande São Paulo (SP) e tem dois filhos já maiores de idade.


(Fonte: Cantoras do Brasil - revisada.)


Faixas:

01 Barra Limpa
02 Eu Te Amo Mesmo Assim
03 Eu Daria A Minha Vida
04 Aqui
05 Pior Pra Você, Bem Pior Pra Mim
06 Gosto De Você
07 Yesterday
08 A Minha Melhor Amiga
09 Escuta
10 Volta Depressa
11 Meu Vestidinho
12 Não É Tristeza
13 Arranje Outra Namorada
14 Historinha De Amor
15 Se Não Fosse A Lua
16 Se Eu Te Amasse Mais Do Que Te Amo Agora
17 Morrer Por Seu Amor
18 Linda Flor (Ai, Ioiô)
19 Somos Iguais
20 Maria Madalena (I Don't Know How To Love Him)


PAULO SÉRGIO - (2008) SUCESSOS INESQUECÍVEIS

Cantor e compositor, Paulo Sérgio de Macedo, nascido em Alegre, no Espírito Santo, mudou-se para o Rio de Janeiro (RJ) em 1966.

Um dos precursores do estilo que se convencionou chamar de brega-romântico, Paulo Sérgio iniciou a carreira em 1967, quase no fim do movimento da Jovem Guarda. Como Roberto Carlos começava a abandonar o estilo, o cantor foi considerado um substituto à altura. Paulo Sérgio lançou nesse mesmo ano o compacto "A Última Canção", de Carlos Roberto. O disco vendeu mais de sessenta mil cópias em apenas três semanas, transformando seu intérprete num fenômeno de vendas. Ainda em 1968, o cantor assinou com o selo Beverly, pelo qual lançou uma série de discos. Seu repertório era uma coleção de sucessos, tais como, "No Dia Em Que Parti" e "Desiludido", de Carlos Roberto, "Não Creio Em Mais Nada", de Totó, "Eu Te Amo Tanto, Tanto", parceria de Manoel Pinto e Cirus, e o xaxado "Minha Madrinha", parceria sua com Eustáquio Sena. Seu estilo de cantar e seu repertório, muito próximos de Roberto Carlos, levaram muitos a considerá-lo um imitador do "Rei".

Um dos cantores mais populares do país, Paulo Sérgio tinha um público fiel, que ficou chocado com o seu precoce falecimento, em 1981, em decorrência de um derrame cerebral, durante um show no interior paulista. A partir de 1995, a gravadora Copacabana passou a reeditar seus discos em formato de CD. O cantor lançou cerca de dezesseis LPs ao longo da carreira.

Em 2005, num pleito realizado pela "Revista de Domingo", do Jornal do Brasil, averiguando os dez discos que emplacaram diversos sucessos ao mesmo tempo, entre os mais variados estilos e épocas, Paulo Sérgio ficou com o quarto lugar, com o disco "Última Canção", de 1968. Entre os sucessos, o LP emplacou a canção homônima ao título do disco, "No Dia Em Que Parti" e "Para o Diabo os Conselhos de Vocês". Segundo alguns, o sucesso foi tanto que Roberto Carlos teria tentado responder, com o lançamento do disco "O Inimitável".


(Fonte: Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira - revisada.)


Faixas:

01 Agora, Quem Parte Sou Eu
02 Amor Tem Que Ser Amor
03 Benzinho (Dear Someone)
04 Desiludido
05 Eu Te Amo, Eu Te Venero
06 Índia
07 La Boemi
08 Minha Madrinha
09 Minhas Qualidades São Meus Defeitos
10 Não Creio Em Mais Nada
11 No Dia Em Que Parti
12 E O Destino Desfolhou
13 O Amor Espera Por Nós Dois
14 Pelo Amor De Deus
15 Pra Esquecer Que Você Existe
16 Quando A Saudade Partir
17 Quero Ver Você Feliz
18 Sorria, Meu Bem
19 Última Canção
20 Veja


MARCOS ROBERTO - (2011) NUNCA VOU TE ESQUECER...

Marcos Roberto Dias Cardoso, mais conhecido como Marcos Roberto, nascido em São Paulo (SP), em 26 de junho de 1941, foi um cantor e compositor brasileiro que fez sucesso desde a década de 1960 à década de 1980. Uma de suas gravações mais famosas, "A Última Carta", ficou meses em primeiro lugar nas paradas e vendeu mais de dois milhões de discos.

Um dos cantores populares brasileiros mais premiados, Marcos Roberto ganhou o troféu Chico Viola, importante premiação dentre os anos 50 e 70, além de vários discos de platina e diamante. Devido ao grande sucesso, o cantor participou dos principais programas de rádio e televisão da época. A música "A Última Carta", originalmente, é uma composição de Antonio Marcelino Vieira, de nome artístico AMV, falecido em 2006. O compositor doou a letra e a melodia a Marcos Roberto, por ocasião de uma apresentação do cantor em uma pequena cidade do Rio Grande do Norte, em 1970. A doação de músicas por pequenos compositores a artistas de renome nacional era um fato corriqueiro nos anos 60 e 70, pelo Brasil, segundo relatos

Marcos Roberto, em seus últimos trabalhos, havia se tornado produtor de novos cantores e bandas e continuava compondo músicas. Historicamente, o cantor foi um dos nomes ligados à Jovem Guarda, nos anos 60, e participante assíduo do consagrado programa de Roberto Carlos, na antiga TV Record. Marcos Roberto participou também do programa "Show da Rádio América", no antigo Cine Piratininga do Brás, nos anos 60. O espetáculo era comandado por José Paulo de Andrade, Sergio de Freitas e Newton Miranda, apresentadores de uma das programações jovens de maior audiência no rádio, na época.

Marcos Roberto faleceu no dia 21 de julho de 2012, aos 71 anos de idade, devido a uma falência múltipla dos órgãos. O cantor estava internado no Hospital Municipal Antônio Giglio, na cidade de Osasco, em São Paulo. Segundo amigos e familiares, Marcos Roberto sofria de depressão, em razão da morte de sua esposa, vítima de câncer.


(Fonte: Wikipedia - revisada.)


Faixas:

01 Metade Da Laranja
02 Amor, Louco Bandido
03 Coração Perdido
04 Anos Dourados
05 Pelo Amor De Deus
06 Paga Pra Ver
07 Fala Comigo, Mãe
08 Boneca Da Noite
09 Perigosa E Selvagem
10 Tudo É Proibido
11 Caminho Sem Volta


RONNIE VON - (1994) A POPULARIDADE DE RONNIE VON

Ronnie Von iniciou a carreira apresentando-se como cantor de blues e gospel, em boates no Beco das Garrafas, no Rio de Janeiro (RJ). Em 1965, levado por Eli Barra, membro dos Brazilian Beetles, apresentou-se no programa "BBC no Rio", de Glauco Pereira, interpretando as canções "You've Got To Hide Your Love Away", de Lennon e McCartney, e "Meu Bem", versão sua para "Girl", da mesma dupla. Manuel Carlos e Agnaldo Rayol assistiram ao programa e o convidaram para se apresentar no "Corte-Rayol Show", programa de grande audiência exibido pela TV Record, de São Paulo (SP). Interpretou, na ocasião, outra música de Lennon e McCartney, "Michelle", obtendo grande êxito.  Ainda em 1965, lançou seu primeiro disco, por intermédio de João Araújo, pai de Cazuza, então diretor artístico da Philips. Acompanhado por Maritza Fabiani, Cláudio Faissal e Brazilian Beatles, gravou as duas músicas dos Beatles que havia apresentado no "BBC no Rio".   Logo, ganhou o epíteto de "Pequeno Príncipe" e seu sucesso o levou a ganhar, no ano seguinte, programa próprio na televisão. Produzido por Solano Ribeiro, "O Pequeno Mundo de Ronnie Von" foi exibido pela TV Record e nele estrearam Os Mutantes. Naquele ano, o cantor lançou seu primeiro LP, "Pequeno Príncipe", cujo maior sucesso foi a faixa título. Tal foi o êxito nesse período, que acabou recebendo o Prêmio Roquete Pinto, como revelação do ano, e assinou contrato com a Agência de Publicidade Jovem Guarda, para comercializar produtos com seu nome. Em 1967, obteve novo êxito com a música "A Praça", de Carlos Imperial, gravada em disco homônimo.

Apesar do fim do movimento da Jovem Guarda, Ronnie Von se manteve em evidência nos anos 70, fazendo sucesso com canções como "Minha Gente Amiga", sucesso de 1971. Seu principal parceiro desse período foi Tony Osanah, ex-guitarrista e cantor do grupo Beat Boys. Dele, gravou em 1972 o sucesso "Cavaleiro de Aruanda", e também obteve êxitos nas parcerias "Deus Sul-americano", de 1973, e "Tranquei a Vida", de 1977. Outros parceiros seus foram Terry Winter, Arnaldo Sacomani e Sam Martim.

Ao longo das décadas de 1980 e 1990, o cantor continuou a apresentar-se em programas de televisão e shows, estrelando novamente um programa de variedades na TV Record. Em 1995, participou da gravação do CD duplo ao vivo "O novo de novo", em homenagem aos trinta anos da Jovem Guarda. Lançou também uma autobiografia intitulada "Mãe de gravata". Sem gravar desde 1996, em 2003, comandou um programa semanal de variedades na TV Record. Em seguida, passou a apresentar com grande sucesso na TV Gazeta, de São Paulo (SP), o programa "Todo Seu".

Em 2007, três dos discos de Ronnie Von foram relançados em CDs remasterizados, contendo encartes com comentários seus a respeito daqueles trabalhos. Foram relançados os discos "Ronnie Von", de 1966, sobre o qual comentou, faixa a faixa: "Meu Bem" - "Foi ela que começou tudo. É a única que salvo no disco"; "You've To Hide Your Love Away"-  "Pela importância histórica. Foi a primeira música que gravei na vida. Aliás, ela era o lado A do compacto que trazia "Meu Bem", no lado B"; Já sobre o disco "Ronnie Von", de 1969, comentou, entre outras coisas: "Espelhos quebrados" - "O arranjo é maravilhoso, baseado em "Eleanor Rigby". E gosto muito dos vidros quebrados no início"; "Meu Povo Cantar" - "Diz tudo, explica aquele momento ("Eu não sei de onde venho e nem para onde vou / Ninguém me escuta e eu não sei quem sou")". Finalmente, foi relançado também em CD o LP "A Máquina Voadora", de 1970, sobre o qual o cantor afirmou: "Seu Olhar No Meu" - "As pessoas devolviam o disco achando que estava com defeito, pelos tremolos exagerados que uso ali"; E sobre "Viva O Chopp Duplo" - "Estava bebendo e um cara foi atropelado na minha frente. A letra fala disso, que a vida acaba na avenida. Mas celebro: 'Viva O Chopp Duplo'". Esses discos foram relançados devido ao sucesso alcançado pelo LP de 1969, com arranjos do maestro Damiano Cozzela, que influenciou Rogério Duprat, unindo martelada em piano, diálogo telefônico, letras surrealistas e vidros quebrados, além de arranjos com metais e cordas que, embora fosse fracasso de vendas na época em que foi lançado, tornou-se cult com o tempo e ganhou edições piratas na Europa e nos Estados Unidos, sendo vendido inclusive por pequenas fortunas.

Em 1994, Ronnie Von lançou o livro "Mãe de gravata", que virou programa de televisão, voltado para o público feminino, apresentado por ele próprio, entre 1999 e 2000, na TV Gazeta. Nos anos 2000, atraiu a atenção de novas bandas e algumas de suas músicas foram gravadas novamente como "Silvia: 20 Horas, Domingo", pelo grupo gaúcho Video Hits, e o tributo "Tudo de Novo", com bandas jovens, cujas gravações foram disponibilizadas via internet. A partir de 2004, passou a apresentar o programa noturno diário "Todo Seu", na TV Gazeta. Até 2013, negando ter feito parte da Jovem Guarda, apresentou cerca de treze programas de televisão diferentes. Segundo o pesquisador e escritor Marcelo Fróes, "Ronnie é uma figura singular na música brasileira, absolutamente genial." Em 2014, foi lançado o livro "O Príncipe que podia ser Rei", uma biografia sua escrita por Antonio Guerreiro e Luiz Cesar Pimentel, publicada pela Editora Planeta.


(Fonte: Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira - revisada.)


Faixas:

01 O Carpinteiro (If I Were A Carpenter)
02 Cavaleiro De Aruanda
03 Tempo De Acordar (I'll Cry My Heart Out For You)
04 Tereza Cristina
05 Meu Bem (Girl)
06 Eu Era Humano E Não Sabia
07 Aquela Mesma Canção
08 A Praça
09 Menina De Trança
10 Seu Olhar No Meu
11 O Pequeno Príncipe
12 A Catedral (Winchester Cathedral)
13 Escuta, Meu Amor
14 Colher De Chá


Contribua com o Música das Antigas

Linque quebrado?

Encontrou algum linque quebrado?

Marcadores

A Patotinha (1) Abdias (2) Abílio Farias (5) Adelino Nascimento (8) Adilson Ramos (6) Adriana (5) Adriano Santa Cruz (1) Agepê (1) Agildo Ribeiro (1) Agnaldo Rayol (2) Agnaldo Timoteo (13) Alcides Gerardi (1) Aldo Sena (1) Almir Ricard (1) Almir Rogério (7) Altemar Dutra (1) Alípio Martins (11) Amado Batista (16) Amilton Lelo (9) André Amazonas (1) Angela Maria (3) Angelo Máximo (8) Antonio Carlos e Jocafi (1) Antonio Marazona (1) Antonio Marcos (16) Anísio Silva (1) Ary Lobo (1) Ary Toledo (1) Assisão (1) Augusto César (1) Babau do Pandeiro (4) Balthazar (5) Banda Cabeça Enfeitada (1) Barros de Alencar (10) Bartô Galeno (14) Bebeto (2) Benito di Paula (2) Beto Barbosa (4) Betto Dougllas (3) Biafra (5) Bianca (2) Borba de Paula (2) Canarinhos de Petrópolis (1) Capital do Sol (1) Carlito Gomes (2) Carlos Alberto (4) Carlos Alexandre (16) Carlos André (6) Carlos Colla (2) Carlos Gonzaga (2) Carlos José (1) Carlos Santos (6) Carlos Silva (1) Carmen Silva (10) Cast RCA (1) Cauby Peixoto (4) Cesar Sampaio (6) Chacrinha (1) Chico Amaro (1) Claudia (1) Claudia Barroso (8) Claudio Di Moro (3) Claudio Galeno (1) Claudio Roberto (3) Clemilda (1) Cláudia Telles (2) Cláudio Fontana (4) Coro Infantil da FuNaBEM (1) Coronel Ludugero (1) Coroné (1) Cristiano Neves (1) Célio Roberto (4) Demetrius (1) Denis e Demian (1) Diana (16) Dicró (1) Dino Rossi (1) Discografia (14) Donizeti (1) Dory Edson (1) Dudu França (3) Ed Wilson (1) Edel Reis (1) Edson Duarte (3) Eduardo Araújo (1) Eliana Pittman (1) Elino Julião (7) Elisângela (2) Elizabeth (2) Elymar Santos (1) Erasmo Carlos (6) Evaldo Braga (16) Evaldo Freire (5) Evinha (1) Fafá De Belém (1) Falcão (6) Fernando Lelis (8) Fernando Luiz (4) Fernando Mendes (23) Franc Landi (1) Francis Dalva (1) Francisco Cuoco (11) Francisco Petrônio (4) Frankito Lopes (11) Fredson (4) Fábio (1) Fábio Jr (6) Genghiskan (1) Genival Lacerda (8) Genival Santos (9) Geraldo Nunes (3) Giane (3) Gilberto Lemos (3) Gilberto Reis (1) Gilliard (11) Gilson (3) Gretchen (6) Harmony Cats (1) Heleninha (1) Heleno (4) Helio Portinhal (2) Hermes Aquino (1) Ismael Carlos (7) Ivan Peter (3) Ivon Cury (1) J. Aquino (3) Jacinto Limeira (1) Jair Rodrigues (1) Jane e Herondy (12) Jerry Adriani (12) Jessé (1) Joanna (1) Joelma (7) Jorginho do Império (1) José Augusto (17) José Augusto Sergipano (1) José Orlando (3) José Ribeiro (7) José Roberto (5) João Dias (1) João Gonçalves (1) João Só (1) João Viola (1) Juanita (3) Juanita e Richard (3) Juca e Jeca (1) Juca Medalha (1) Julia Graciela (2) Júlio César (5) Júlio Nascimento (2) Kleber (1) Kátia (10) Latino (1) Leila (1) Leila Silva (1) Lenita Santos (1) Leno (1) Leno & Lilian (2) Leonardo (1) Lilian (7) Lindomar Castilho (15) Lindomar Lins (1) Lindú (1) Los Angeles (1) Luan e Vanessa (1) Luiz Américo (2) Luiz Carlos Magno (2) Luíz Caldas (1) Mamonas Assassinas (1) Marcelo (1) Marcelo Reis (2) Marcio França (2) Marcio Greyck (12) Marcio José (9) Marcos Roberto (8) Marcus Pitter (1) Maria Alcina (3) Mario Gomes (1) Markinhos Moura (2) Martinez (1) Martinha (4) Matogrosso e Mathias (1) Maurinho da Mazzei (1) Maurinho Jr (1) Mauro Celso (3) Mauro Sérgio (1) Maurício Reis (7) Meire Rose (1) Messias Holanda (3) Michael Sullivan e Paulo Massadas (1) Miguel Angelo (1) Miguel De Deus (1) Miltinho Rodrigues (1) Moacyr Franco (8) Nahim (1) Nalva Aguiar (4) Nelson Gonçalves (5) Nelson Montenegro (1) Nelson Ned (7) Nilton César (9) Nilton Lamas (3) Nora Ney (1) Noriel Vilela (1) Núbia Lafayette (6) Odair José (28) Onildo Almeida (1) Orlando Dias (3) Orlando Silva (1) Os 3 do Nordeste (1) Os Incríveis (2) Osvaldo Oliveira (1) Oswaldo Bezerra (3) Ovelha (4) Patrick (1) Paulo de Paula (2) Paulo Diniz (3) Paulo Henrique (2) Paulo Moraes (1) Paulo Márcio (2) Paulo Sergio (16) Peninha (6) Perla (15) Pholhas (1) Pinduca (3) Raimundo Soldado (7) Raul Gil (1) Raul Seixas (2) Raulzinho (1) Reginaldo Rossi (23) Renato e Seus Blue Caps (1) Ricardo Braga (8) Rita Cadillac (1) Ritchie (2) Roberto Barreiros (2) Roberto Leal (4) Roberto Luna (1) Roberto Müller (4) Roberto Nunes (1) Ronaldo Adriano (4) Ronaldo Resedá (1) Ronnie Von (7) Rony Cardoso (1) Rosana (4) Rosemary (5) Rossini Pinto (1) Rufino (1) Sandro Becker (4) Sara Sonaya (1) Sarajane (1) Sidney Magal (7) Silvinha (1) Silvinho (2) Sol (2) Sueli (1) Sula Mazurega (1) Sula Miranda (1) Sylvinho (1) Sérgio Mallandro (7) Sérgio Reis (3) Tarcys Andrade (1) Tarântulas (1) Teixeira de Manaus (2) The Clevers (1) The Fevers (6) The Golden Boys (1) Tiririca (2) Tião Macalé (1) Tony Damito (3) Trio Esperança (1) Trio Irakitan (1) Trio Nordestino (1) Trio Xamego (1) Tutti-Frutti (1) Vanusa (8) Vic McKenzie (1) Virgilio (1) Vários Artistas (85) Wagner Montes (1) Waldick Soriano (24) Waldir Ramos (1) Waldirene (4) Waleska (1) Walter Basso (3) Wanderley Andrade (1) Wanderley Cardoso (5) Wanderléa (5) Wando (11) Wilson Miranda (1) Yahoo (1) Zenilton (3) Zezinho Barros (1) Zé Calixto (1)